Anúncio Publicitário

cab andebol

As duas equipas portuguesas presentes nas meias-finais da Challenge Cup tiveram sortes diferentes nos jogos deste fim-de-semana, mas os resultados deixam em aberto a possibilidade de uma inédita final lusitana numa prova internacional de andebol, neste caso na terceira prova de clubes mais importante da Europa, cujo troféu apenas uma equipa portuguesa já ergueu (o Sporting, em 2010).

ABC vence Stord e está bem posicionado para chegar à final

Anúncio Publicitário

O ABC de Braga ganhou este sábado aos noruegueses do Stord por 25-18 e, no próximo domingo, desloca-se à Noruega para gerir a vantagem de sete golos e tentar chegar pela segunda vez na sua história a uma final da Challenge Cup.

Com o pavilhão Flávio Sá Leite, em Braga, perto da lotação esgotada, o ABC acusou o peso da responsabilidade de uma meia-final europeia e começou mal o jogo. Os minhotos construíram bem o processo ofensivo, mas a baixa eficácia na finalização fez com que o Stord, uma equipa que, apesar de ser oriunda de um país apaixonado por esta modalidade, tem pouca experiência em competições europeias, fosse a espaços tomando o comando do marcador.

Sem querer tirar mérito ao 6-0 compacto dos noruegueses, o maior responsável pelo facto de o Stord ainda poder sonhar com o apuramento para final é o seu guarda-redes Thomas Aagard, que fez uma excelente exibição e mais de duas dezenas de defesas, muitas em momentos-chave do jogo que poderiam ter catapultado o ABC para um resultado mais dilatado e algumas de um grau de dificuldade máximo (impediu, por exemplo, ao longo do jogo, quatro ou cinco golos em situações de um para zero).

Na primeira parte a equipa da casa desperdiçou demasiadas oportunidades de golo, muitas em contra-ataque, aproveitando os incontáveis turnovers do Stord. A formação nórdica apresentou um ataque muito macio (apenas nove golos marcados em cada parte), que muito raramente solicitava o pivô. Em vez disso, privilegiavam o remate exterior (muitos deles nem sequer chegavam à baliza de Humberto Gomes, uma vez que batiam no bloco), pelo que os bracarenses nunca tiverem de mostrar o quão bem sabem defender, qualidade, aliás, que, na minha opinião, foi decisiva para a vitória frente ao FC Porto na final da Taça de Portugal e também na vitória diante do Sporting no terceiro jogo das meias-finais do campeonato nacional.

sa leite 2
O mítico Pavilhão Flávio Sá Leite foi palco de mais uma boa exibição europeia do ABC

A primeira metade da partida terminou com vantagem de três golos para o ABC (12-9), com destaque do lado da equipa da casa para as boas exibições do central Hugo Rocha e do extremo direito David Tavares, ex-Benfica, e do lado dos visitantes para a prestação de Morten Christensen (que terminou o jogo com quase metade dos golos da equipa, sete) e do conflituoso Jesper Traberg.

Os minhotos foram os primeiros a marcar nos segundos 30 minutos, mas um parcial de 4-0 do Stord colocou no placard uma igualdade a 13 que não exprimia o que tinha sido o jogo, dada a evidente superioridade da equipa portuguesa. O empate durou pouco, uma vez que aos 45 minutos de jogo o ABC já vencia por 21-15, depois de um parcial de seis golos sem resposta que impediram qualquer reação da equipa norueguesa. O Stord acabaria por marcar apenas mais três golos até ao fim, e os minhotos, empurrados pelo espetacular apoio do público, dilataram a vantagem para sete pontos, diferença que acaba por ser escassa se atentarmos na diferença de qualidade entre as duas equipas.

Na segunda metade brilharam os Nunos no ABC, com Nuno Grilo, apesar de algo perdulário da marca de sete metros, a terminar a partida com quatro golos, os mesmos de Nuno Rebelo, que confirma assim o potencial que muitos críticos lhe atribuem para crescer. Nota negativa apenas para a equipa de arbitragem russa, que aplicou muitas vezes de forma incorreta a lei do jogo passivo e anulou, mal, um golo magnífico a David Tavares.

Benfica sai derrotado da Roménia mas eliminatória é recuperável

O Odorhei, da Roménia, venceu esta tarde o Benfica em casa por 31-29 e vai deslocar-se a Lisboa no domingo com uma curta vantagem na eliminatória, que o Benfica tem capacidade para anular e, assim, atingir a final da Challenge Cup. O jogo não teve transmissão televisiva mas, segundo informação do site da Federação Europeia de Andebol, ao intervalo os romenos venciam por um golo (16-15).

O Benfica, que vinha de uma eliminação nas meias-finais do campeonato português frente ao FC Porto, teve no jogo de hoje António Areia como o seu melhor artilheiro, com oito golos, seguido do espanhol Javier Borragan Fernandez (seis golos). Do lado da formação da casa, destaque para o georgiano Vladimir Rusia, que terminou a partida com oito golos, e ainda para o romeno Chike Osita Onyejekwe (sete golos).

Caso uma destas duas equipas portuguesas consiga vencer esta competição, na próxima época o quinto classificado da liga nacional terá uma vaga na Taça Challenge, mantendo-se o lugar na Liga dos Campeões para o campeão português e uma vaga na Taça EHF para o vice-campeão.

Fotos: Facebook oficial do ABC de Braga

Anúncio Publicitário