Anterior1 de 3Próximo

Em jogo a contar para a segunda jornada do campeonato nacional de andebol, os azuis e brancos deslocaram-se, esta quarta-feira, até a um reduto difícil, Pavilhão da Associação Atlética de Águas Santas, para defrontar o conjunto maiato. O jogo marcou a estreia dos anfitriões na Andebol 1, depois de terem visto adiada a sua deslocação até aos Açores, para defrontar o Sporting da Horta, num encontro relativo à primeira jornada.

Sabia-se de antemão que a turma de Magnus Andersson, embora favorita, tinha uma tarefa muito complicada, e que a equipa maiata de tudo ia fazer para contrariar e surpreender o colosso Futebol Clube do Porto.

Num jogo com mais de 60 golos, foi a equipa da casa a inaugurar o marcador, por meio de Vasco Santos, mas os dragões rapidamente deram resposta e empataram o jogo ainda antes de estar concluído o minuto inaugural.

Com um resultado muito nivelado nos instantes iniciais, foi preciso esperar pela exclusão de 2 minutos, do ponta direita maiato Mário Lourenço, para os azuis e brancos se colocarem pela primeira vez no comando marcador, alcançando uma vantagem de três golos ainda antes do minuto dez.

Ainda que na dianteira do encontro e com um resultado confortável, Magnus Andersson exigia mais, e, à passagem do minuto 15, optou por colocar o seu primeiro “time-out”. Lançando Daymaro Salina, Miguel Martins e Fábio Magalhães no encontro – proporcionando alguma rotatividade à sua formação.
Fábio Magalhães entrou na partida à passagem do primeiro quarto de hora
Fonte: FPA

Ainda assim, os forasteiros, acabaram por recolher ao balneário com o mesmo diferencial de golos, 19-22, depois de terem estado na frente do marcador apenas pela vantagem mínima, numa altura em que entravam nos últimos cinco minutos do primeiro tempo.

Já na segunda metade, o Futebol Clube do Porto voltou a ser mais forte, e começou paulatinamente a construir uma vantagem muito confortável. Note-se que ao minuto sete já vencia por cinco golos, e, ainda antes dos dez, dilatou a sua diferença para sete golos.

Resultado que acabou por provocar o desconto técnico de António Silva que, inconformado, ansiava alterar o rumo da partida.

A paragem surtiu efeito, e o AA Águas Santas conseguiu mesmo assustar os dragões com uma aproximação no placard 27-30, quando já estavam decorridos 16 minutos do segundo tempo. Insatisfeito, o técnico portista, não tardou em gerar mais uma paragem e a passar novas indicações ao seu conjunto.

Indicações que lhe vieram a ser muito úteis, isto porque, num ápice, os “azuis e brancos”  voltaram a aumentar essa diferença, fixando o resultado final em 32-37.

EQUIPAS: 

AA Águas Santas – Mário Rego, Fábio Teixeira, João Gomes, Vasco Santos, Pedro Cruz, Gustavo Almeida, Mário Lourenço, João Ribeiro, Nuno Silva, Francisco Fontes, Mário Oliveira, José Rebelo, Henrique Carlota, Diogo Pereira, Hugo Costa.

FC Porto – Alfredo Bravo, Victor Alvarez, Yoan Blanco, Miguel Martins, Djibril Mbengue, Angel Zulueta, Rui Silva, Daymaro Salina, Ruben Ribeiro, Leonel Fernandes, Alexis Borges, Diogo Branquinho, Thomas Bauer, António Areia, André Gomes, Fábio Magalhães.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários