O Campeonato europeu de andebol sub-20 está a realizar-se na Eslovénia, com a seleção portuguesa a realizar uma prova sensacional.

Cinco jogos: uma derrota, contra a Croácia no último jogo (já com um lugar nas meias-finais garantido), e quatro vitórias, contra França, Dinamarca, Hungria e Espanha. Adversários de grande peso na teoria, mas que sofreram ao enfrentar os jovens jogadores portugueses.

Portugal concluiu a fase de grupos em 1.º lugar assim como na Main Round. A equipa tem realizado jogos de um nível altíssimo. A veia goleadora do lateral direito emprestado ao Avanca pelo FC Porto, Diogo Silva, tem sido essencial para os triunfos lusos. De facto, é injusto enfatizar apenas a prestação de Diogo Silva, uma vez que toda a equipa tem estado à altura – destaco ainda André Gomes ou Leonel Fernandes. O desempenho do jovem jogador, Diogo Silva, tem dado muito nas vistas, tendo sido o melhor marcador da equipa em vários jogos.

Na imagem, o melhor marcador da equipa lusa, Diogo Silva
Fonte: Andebol Portugal

A seleção nacional tem demonstrado, para além de grande qualidade de jogo, uma mentalidade exemplar que está espelhada no que o treinador, Nuno Santos, diz: sempre com rasgados elogios à equipa, mas que, ao mesmo tempo, se preocupa em manter os pés bem assentes na terra, com a modéstia e humildade que caracteriza qualquer treinador de classe.

Anúncio Publicitário

A equipa comandada por Nuno Santos tem argumentos muito fortes para conquistar o título europeu e já o demonstrou. O jogo com a França, na estreia, é o melhor exemplo de uma formação que consegue impor o seu jogo e estar concentrada durante 60 minutos.

A França foi uma das vítimas da seleção das quinas, logo na estreia
Fonte: Federação Francesa de Andebol

Como o treinador já disse durante a prova, é possível “vencer qualquer equipa”, desde que o plano seja cumprido. Este título é muito ambicionado e pode ser mais uma alavanca para o andebol nacional. É indiscutível a existência de um grande talento em território nacional no que toca à modalidade. É necessário que os clubes e a federação consigam tratar este talento de forma a beneficiar os jovens e a prática desportiva.

Canalizar os investimentos para jovens jogadores e dar-lhes mais oportunidades nas equipas de origem pode ser um passo a ser dado no caminho certo. Portugal vai sendo presenteado com pistas que demonstram que há qualidade nacional, e esta prestação é “apenas” mais uma.

Portugal vai defrontar hoje, precisamente, a equipa da casa, Eslovénia – o vencedor vai disputar a final da prova no dia 29 de julho, contra a Alemanha ou a França.

Foto de Capa: Andebol Portugal