Fim de semana muito positivo para as equipas portuguesas na Europa do Andebol! No passado sábado, dia 23 de Fevereiro, duas equipas disputaram jogos para as competições europeias, ambas saindo vencedoras e dando passos importantes para a sua continuação na Europa.

A tarde de andebol começou pelas 15h, com o FC Porto a deslocar-se a Holstebro, Dinamarca, para defrontar o terceiro classificado do campeonato dinamarquês, o TTH Holstebro, em jogo a contar para a terceira jornada da fase de grupos da Taça EHF. O FC Porto entrava nesta jornada em primeiro lugar do grupo, com duas vitórias nos dois jogos disputados (frente a Liberbank Cuenca e HC Constanca), e em caso de vitória poderia isolar-se na frente do grupo e aproximar-se ainda mais da passagem à fase a eliminar.

Apesar de algumas lesões, a equipa Dinamarquesa conseguiu manter a partida equilibrada durante quase a totalidade dos 60 minutos. O Holstebro apoiava-se no seu ponta-esquerda, Magnus Bramming, que ao intervalo já contava com 12 golos marcados. Ambas as equipas iam trocando a liderança do marcador, com a maior vantagem do jogo a aparecer já perto do fim da primeira parte, quando o central Rui Silva marcou o 17-15 a oito segundos do intervalo.

A segunda parte foi semelhante, com o equilíbrio a ser a palavra chave. O Holstebro conseguiu o empate a 17 golos e desde esse momento assistiu-se a uma autêntica batalha pela liderança no marcador. Embalado por um inspirado Alfredo Quintana na baliza – que continua a afirmar-se como dos melhores guarda-redes a atuar na Europa –, o FC Porto ia-se mantendo por cima, apesar de alguma ansiedade em certos momentos da partida. Aos 20 minutos da segunda parte, e depois de ter visto o Holstebro anular uma desvantagem de três golos, o treinador portista Magnus Andersson decidiu retirar o guarda-redes no momento ofensivo, jogando sete contra seis, na tentativa de abrir espaços na organizada defesa dinamarquesa.

Anúncio Publicitário

E, apesar de algum sucesso, o Holstebro ia marcando vários golos diretamente da defesa, através de recuperações de bola e remates diretos à baliza deserta do FC Porto. O ponta esquerda Magnus Bramming ia mantendo a pontaria afinada, terminando a partida com 14 golos em 18 remates, mas não foi o suficiente. A maior experiência portista acabou por ser determinante, e Miguel Martins pôs o ponto final no jogo quando marcou o seu sexto golo e o 33º da equipa a sete segundos do final do jogo.

O FC Porto assumiu assim a liderança isolada do grupo C, com seis ponto em três jogos, cavando assim um fosso de quatro pontos para o segundo classificado, o TTH Holstebro.

FC Porto “voa” na Taça EHF!
fonte: FC Porto

No segundo jogo da tarde, o Sporting CP recebeu o CS Dinamo Bucuresti na primeira mão do apuramento para a fase a eliminar da EHF Champions League. Num Pavilhão João Rocha muito perto da lotação máxima, a equipa sportinguista entrou algo ansiosa. Com uma grande intensidade defensiva de ambas as partes, aos 4 minutos já ambas as equipas tinham jogadores suspensos com dois minutos. A equipa romena, mais experiente, assumiu a liderança no marcador à passagem do minuto 10, fazendo o 6-5, e dois minutos depois já aumentara a vantagem para 8-5.

O Sporting CP ia-se aproximando mas, quando se encontrava a apenas um golo de diferença, sofreu três suspensões de dois minutos, ficando a defender três para seis durante dois minutos e quatro para seis durante quase quatro minutos. Esse período permitiu ao Dinamo aumentar novamente a vantagem para três golos. Depois apareceu a experiência leonina, com Nikcevic, Ruesha e Ghionea a assumirem o jogo e a levarem o Sporting CP ao empate a doze golos. O equilíbrio iria manter-se até ao fim da primeira parte, com o marcador ao intervalo a assinalar uma igualdade a catorze.

Na segunda parte manteve-se o equilíbrio, com as duas equipas a trocarem lideranças até aos 42 minutos, altura em que o Sporting CP, embalado pelos adeptos, teve dez minutos fantásticos, aproveitando algumas exclusões de dois minutos de jogadores do Dinamo para cavar um fosso de cinco golos, chegando ao 31-26 aos 52 minutos.

Contudo, quando se joga na melhor competição de clubes da Europa, nunca se pode tirar o pé do acelerador. Numa fase de menor eficácia de remate, onde o lateral cubano Pedro Valdez rematou 3 bolas à trave, a equipa visitante conseguiu recuperar a desvantagem e chegou mesmo ao empate a 31 golos quando faltava um minuto para o final da partida. O treinador leonino, Hugo Canela, pediu um time-out para organizar o último ataque da partida, que viu Edimilson Araújo rematar com força para dar a vitória à equipa da casa.

Um resultado que, apesar de positivo, pode ser muito perigoso para a equipa do Sporting CP, que se desloca à Roménia dia 28 para a 2ª mão da eliminatória.

Foto de Capa: FAP

Artigo revisto por: Rita Asseiceiro