Anterior1 de 3Próximo

O Sporting CP fez hoje a sua estreia na EHF Champions League 2019/2020 frente ao HC Eurofarm Rabotnik. Os leões estão inseridos no grupo C da competição juntamente com o Sãvehof (Suécia), Bidosa (Espanha), Presov (Eslováquia), Cocks (Finlândia) e o Eurofarm Rabotnik (Macedónia do Norte). Adivinha-se um grupo bastante equilibrado onde o Sporting CP, juntamente com os espanhóis e também com os eslovacos, deverá lutar pela passagem à fase seguinte. Recordo que apenas os dois primeiros de cada grupo seguem em frente.

PRIMEIRA PARTE POUCO CONSEGUIDA

O Eurofarm Rabotnik fazia a sua estreia na competição, mas nem por isso apresentava uma equipa menos competitiva. Nota para Neven Stjepanovic, que, na última temporada, alinhou na equipa verde e branca. Num grupo tão equilibrado, as vitórias fora de casa assumem particular importância. Assim, este jogo assumiu particular importância.

A partida começou equilibrada e decorridos 12 minutos o marcador encontrava-se igualado a seis. Apesar de algumas faltas técnicas para ambos os lados, o equilíbrio era a tónica dominante. A equipa de Thierry Anti aposta forte no capítulo defensivo e também no ataque rápido. Todavia, o ataque organizado parece ainda algo por afinar na estratégia do treinador francês e precisamente essa situação de jogo ia dando origens a inúmeros contra-ataques do Rabotnik. Apesar disso, 20 minutos passados e a igualdade mantinha-se (11-11). Insatisfeito com a prestação da sua equipa – os macedónios abriam uma vantagem de dois golos – Anti pediu um desconto de tempo e corrigiu alguns aspetos, nomeadamente a agressividade e profundidade defensiva. A equipa respondeu bem e voltou a igualar o encontro.

Ao intervalo, o Rabotnik liderava por um golo, mas ficava a sensação de que a equipa do Sporting CP podia fazer muito bem. Nesta primeira parte, destaque para Valentin Ghionea com cinco golos (todos eles de sete metros) e ainda para Stjepanovic com três.

SEGUNDA PARTE DE LUXO VALEU VITÓRIA MUITO IMPORTANTE

Na segunda parte, a história seria diferente. Certamente nada contente com a prestação dos seus jogadores, Anti deve ter dito das boas aos seus comandados. Assim, nos primeiros 14 minuto da segunda metade, o Sporting CP inverteu uma desvantagem de um golo e passou para a liderança por três. A defesa leonina estava agora bastante mais profunda e roubava inúmeras bolas que davam origem a contra-ataques rápidos. Os macedónios já não tinham tanto espaço para rematar de fora e a sua eficácia diminuía abruptamente. O treinador do Rabotnik pediu o seu desconto de tempo, mas as suas tentativas para travar a maior dinâmica leonina não estavam a surtir efeito.

Quando faltavam apenas 10 minutos para o final da partida, os macedónios aproximavam-se no marcador e estavam agora a apenas um golo. No entanto, Thierry Anti pediu um desconto de tempo e chamou a atenção dos seus jogadores para o momento ofensivo, mas reforçou que era na defesa que o Sporting CP ia ganhar o jogo. A pausa técnica surtiu efeito e os leões voltaram a abrir uma vantagem de três golos.

A verdade é que essa mesma vantagem revelou-se decisiva e os leões não mais saíram da liderança. Apesar da aproximação do Rabotnik nos últimos minutos, o Sporting CP geriu bem a vantagem e conquistou uma vitória muito importante. A segunda parte leonina foi excelente e Anti começa a mostrar as razões pelas quais foi contratado. No capítulo individual, Ghionea marcou uma dezena de golos e, juntamente com o guarda redes Cudic, foram peças essenciais no triunfo verde e branco.

O Sporting CP defronta na próxima jornada (dia 21 às 18:30 no Pavilhão João Rocha) os eslovacos do Tatran Presov. Um jogo extremamente importante no que às contas finais deste grupo C diz respeito.

EQUIPAS INICIAIS

Eurofarm Rabotnik – Nikola Mitrevski (GR), Bojan Madzovski, Milan Djukic, Marin Vegar, Lovro Jotic, Nikola Markoski e Neven Stjepanovic

Sporting CP – Aljosa Cudic (GR), Luís Frade, Frankis Carol, Pedro Valdez, Carlos Ruesga, Valentin Ghionea e Arnaud Bingo

Anterior1 de 3Próximo

Comentários