A CRÓNICA: FC PORTO DE VÁRIAS CARAS DURANTE O JOGO

Após a derrota na primeira jornada, o FC Porto tinha hoje uma nova oportunidade de conquistar os primeiros pontos nesta edição da EHF Champions League. O adversário era o Meshkov Brest que tinha vencido o RK Vardar na sua partida inaugural.

Este jogo começou como o anterior, com os visitantes a inaugurar o marcador e em vantagem durante os momentos iniciais da partida. Para essa vantagem foi fulcral o começo de partida do guarda-redes Pesic, que ajudou a equipa bielorussa a controlar a partida. A meio da primeira parte o resultado era 3-6, sendo a eficácia no ataque o principal diferenciador. Pedia-se uma recuperação dos azuis e brancos, correndo o perigo de ficar numa posição complicada caso tal não acontecesse. Mas essa recuperação aconteceu mesmo e numa altura em que estava em inferioridade numérica. Nesse momento surgiu o primeiro time-out, pedido por Magnus Andersson quando o FC Porto perdia 6-7. Daí até ao intervalo passaram cerca de nove minutos e durante esse período os “dragões” fizeram um parcial de 6-2 saindo para o intervalo a vencer 12-9. Para esta “cambalhota” foi decisiva a consistência da defesa e as intervenções do experiente Nikola Mistrevski.

O FC Porto entrou forte na segunda parte com um parcial de 3-0, que levou o treinador da equipa adversária a pedir paragem do jogo, o que foi fulcral para o seu regresso à disputa da partida. As dificuldades ofensivas do FC Porto aumentaram, aumentando também as falhas técnicas, levando a que a meio da segunda parte a partida tivesse empatada a 18 golos. Os azuis e brancos conseguiram melhorar a sua organização ofensiva e foram controlando a segunda metade da segunda parte com vantagens tangenciais, terminando com uma vitória por 27-25.

Foi uma prestação melhor que a da primeira jornada, mas o FC Porto ainda apresenta vários altos e baixos durante o jogo e tem de melhorar a sua consistência para conseguir uma prestação ao nível da época passada.

Anúncio Publicitário

A FIGURA

Fábio Magalhães – É fulcral a sua presença na organização ofensiva do FC Porto e a equipa é completamente diferente com ele em campo. Hoje foram cinco golos (83% eficácia) e três assistências.

O FORA DE JOGO

Fonte: FC Porto Sports

Djibril M´Bengue – É já o seu terceiro ano no FC Porto, mas ainda parece uma figura à parte na equipa. Não marcou qualquer golo, apenas fez um remate e a sua prestação defensiva não foi melhor. Esperava-se mais do lateral alemão de 28 anos.

ANÁLISE TÁTICA FC PORTO

Como habitual, o FC Porto apresentou-se a defender 6×0, mas ainda são algumas as dificuldades de entrosamentos entre os defesas da zona central, o que permitiu os adversários aproveitarem para encontrar espaço nos seis metros com alguma facilidade. De realçar também o elevado número de livres de sete metros e de exclusões contra o FC Porto no início da partida. Curiosamente, foi com menos um que os azuis e brancos conseguiram alguma consistência defensivamente, mantendo essa consistência até ao final da partida, aliando-se à boa exibição de Nikola Mitrevski. Ofensivamente, a equipa sofreu com a ausência de Rui Silva. Ainda se nota alguma falta de entrosamento entre Sliskovic, Miguel Martins e M´Bengue, mas a equipa melhora com o 7×6 e com a entrada de André Gomes e Fábio Magalhães. De notar a utilização dos jovens Leonel Fernandes, Miguel Alves e Martim Costa. Por outro lado, Alfredo Quintana, António Areia e Diogo Branquinho tiveram menos minutos de utilização que o habitual.

SETE INICIAL E PONTUAÇÕES

Nikola Mitrevski (7)

António Areia (6)

Djibril M’Bengue (4)

Ivan Sliskovic (4)

Miguel Martins (8)

Diogo Branquinho (5)

Victor Iturriza (7)

SUBS UTILIZADOS E PONTUAÇÕES

Daymaro Salina (6)

André Gomes (7)

Alfredo Quintana (-)

Diogo Silva (5)

Fábio Magalhães (8)

Manuel Spath (7)

Leonel Fernandes (5)

Miguel Alves (7)

Martim Costa (6)

ANÁLISE TÁTICA MESHKOV BREST

Uma equipa muito forte fisicamente, o que muitas vezes impediu o FC Porto de finalizar em qualidade e o que levou a que a equipa marcasse inúmeros golos através da sua primeira linha. O jogo dos pivots também foi fulcral, conquistando vários sete metros e fazendo com que a equipa tivesse algumas vezes em superioridade numérica. Decisiva também foi a boa prestação do guarda-redes Ivan Pesic.

SETE INICIAL E PONTUAÇÕES

Ivan Pesic (7)

Alexsander Shkurinskiy (7)

Vladimir Vranjes (5)

Viachaslau Shumak (5)

Andrei Yurinok (4)

Marko Panic (9)

Mikita Vailupau (6)

SUBS UTILIZADOS E PONTUAÇÕES

Stas Skube (8)

Simon Razgor (7)

Jaka Malus (6)

Artsiom Selviasiuk (5)

Pawel Paczkowski (4)

Dimitrii Santalov (5)

Foto de Capa: FC Porto Sports