logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

FC Porto 35-36 Sporting CP: A prova rainha é dos leões!

modalidades cabeçalho

A CRÓNICA: TAÇA DE PORTUGAL PINTADA DE VERDE E BRANCO

Foi dia de final da Taça de Portugal de andebol. Voltámos a Matosinhos para, no clássico entre FC Porto e Sporting CP, descobrir quem iria levantar a taça da Prova Rainha.

Um jogo entre duas das mais fortes equipas do campeonato, com jogadores de nome sonante. De um lado o tricampeão nacional, do outro um forte oponente e com esse mesmo objetivo. Esperava-se um jogo emocionante e impróprio para cardíacos.

O jogo começou quente. António Areia falhou um livre de sete metros nos primeiros segundos e os ânimos começaram a exaltar-se. Se de um lado defendia Manuel Gaspar, do outro lado existia Nikola Mitrevski.

O primeiro golo do encontro só aparece aos três minutos e meio, depois de uma transição à velocidade da luz por parte dos leões, que Schongarth concretizou.

Costuma-se dizer que jogadores que entram para bater penaltis nunca dá certo. Diogo Rêma entrou para defender o livre sete metros de Kiko Costa e brilhou. Há exceções à regra.

Josep Folques pedia calma aos seus companheiros da formação leonina. A eficácia portista estava no auge e os dragões tomaram as rédeas do marcador. Ricardo Costa fez a vontade ao seu jogador e pediu timeout. Era necessário que o Sporting CP refrescasse as ideias para conseguir equilibrar o resultado a seu favor.

A diferença estava entre três e quatro golos. Mesmo com Kiko Costa num dia “sim”, os leões não se conseguiam aproximar dos dragões. Mas, à chegada do intervalo, o FC Porto vencia por 15-13.

O ambiente no pavilhão estava ao rubro, quer no terreno de jogo, quer nas bancadas. A diferença no marcador estava reduzida a apenas um golo e Kiko Costa, a par de Rui Silva. Os dois eram os verdadeiros dinamizadores do jogo das equipas que representam.

Os minutos passavam e tudo permanecia na mesma. O ritmo de jogo era elevadíssimo, o marcador estava colado com um ponto de distância e estávamos a chegar aos dez minutos finais. No fundo, um jogo impróprio para cardíacos.

A quatro minutos do final, Kiko Costa volta a empatar o jogo, depois de um livre de sete metros onde bateu Sebastian Frandsen. As esperanças leoninas estavam vivas, mas o FC Porto estava também determinado em vencer.

O barulho ensurdecedor do pavilhão trazia mais emoção a tudo. O racional tinha de estar bem presente nestes últimos minutos, seja em que equipa fosse. Mas será que existia espaço para isso ou o coração é que falava?

Um minuto. O Sporting CP vencia por um golo. Diogo Branquinho volta a empatar o jogo. 30 segundos. Frandsen defende. Cinco segundos. Iturriza remata para golo… fora do tempo. Vinha o prolongamento.

O FC Porto abriu o prolongamento com dois golos de rajada, mas o Sporting CP respondeu por parte de Gassama. Findos os primeiros cinco minutos do prolongamento, o FC Porto vencia por apenas um golo de diferença.

As baixas de peso surgiram. Rui Silva teve de abandonar o terreno de jogo por lesão e, de seguida, Kiko Costa (que já se havia queixado da perna durante o tempo regulamentar) teve o mesmo fim. O Bola na Rede deseja a recuperação rápida de ambos os jogadores (se bem que ambos ainda lutaram contra eles próprios e voltaram a jogo ainda queixosos)!

A 15 segundos do final, Jens Schongarth, depois de dois golos consecutivos, empatou novamente a partida. Soa a buzina do final da segunda metade do prolongamento e FC Porto e Sporting CP permaneciam empatados a 30 golos.

Começamos o terceiro período de prolongamento e o Sporting CP arrancou de rajada com dois golos e um António Areia enraivecido do lado dos dragões. Os leões levavam vantagem de dois golos para os restantes cinco minutos.

Uma competição inteira, duas horas e trinta e cinco minutos de final e o Sporting CP levanta o troféu de campeão da Taça de Portugal de andebol.

Foi dia de final da Taça de Portugal de andebol. Voltámos a Matosinhos para, no clássico entre FC Porto e Sporting CP, descobrir quem iria levantar a taça da Prova Rainha.

A FIGURA

Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Kiko Costa – Incontornavelmente, Kiko Costa é a figura de jogo. Com 17 anos, tem uma maturidade de jogo totalmente acima do nível. No total do tempo regulamentar, Kiko concretizou 13 golos. A equipa tinha 26. Absurdo. Teve de abandonar o terreno de jogo no início da segunda metade do prolongamento devido a lesão.

Nota também para Rui Silva que foi o dinamizador do jogo do FC Porto. Também saiu do encontro lesionado, ainda no prolongamento, amparado por Pedro Valdés e Pedro Cruz.

Mesmos com as lesões, ambos os jogadores ainda voltaram a entrar em campo para ajudar as suas equipas, mesmo com muitas queixas. Resiliência. Atitude. Profissionalismo.

 

O FORA DE JOGO

Martim Costa Sporting CP SL Benfica
Fonte: Diogo Cardoso/Bola na Rede

Martim Costa – Depois de uma exibição para lá do excelente na meia-final frente ao SL Benfica, Martim Costa chegou à final frente ao FC Porto e apagou-se. Um jogador desta qualidade tem tudo para mostrar mais do que aquilo que fez no clássico frente aos dragões.

 

ANÁLISE TÁTICA – FC PORTO

A nível defensivo, os dragões tiravam partido da composição física dos seus jogadores para ganhar no duelos e fazer uma marcação individual aos leões, com particular intenção de jogar no erro do Sporting CP.

Ofensivamente, tentou explorar os pontas para chegar à baliza adversária, com grande ênfase na influência de Pedro Cruz e Rui Silva.

 

FORMAÇÃO E PONTUAÇÕES

Nikola Mitrevski (7)

Diogo Rêma (7)

Sebastian Frandsen (7)

Pedro Valdés (6)

Victor Iturriza (7)

António Areia (6)

Rui Silva (9)

Djibril M’Bengue (6)

Fábio Magalhães (7)

Leonel Fernandes (6)

Daymaro Salina (6)

Pedro Cruz (7)

Diogo Branquinho (6)

Jesus Hurtado (6)

 

ANÁLISE TÁTICA – SPORTING CP

O técnico Ricardo Costa apostou numa defesa subida, em especial, com uma marcação quase homem a homem, mas privilegiando a marcação à zona. Primeira linha defensiva ainda mais subida, com um jogador leonino sempre a pressionar Rui Silva.

Ofensivamente, o Sporting CP apostava na inteligência dos seus jogadores, com um único pivô.

 

FORMAÇÃO E PONTUAÇÕES

Manuel Gaspar (7)

Matevs Skok (6)

Edmilson Araújo (6)

Kiko Costa (9)

Jonas Tidemand (6)

Carlos Ruesga (7)

Salvador Salvador (7)

Mamadou Gassama (6)

Josep Folques (6)

António Maria Machado (6)

Martim Costa (5)

Jens Schongarth (6)

Francisco Tavares (6)

Natan Diaz (6)

Hanser Rodriguez (6)

A Andreia é licenciada Ciências da Comunicação, no ramo de Jornalismo. Depois de ter praticado basquetebol durante anos, encontrou no desporto e no jornalismo as suas maiores paixões. Um dos maiores desejos é ser uma das vozes das mulheres no mundo do desporto e ambição para isso mesmo não lhe falta.

A Andreia é licenciada Ciências da Comunicação, no ramo de Jornalismo. Depois de ter praticado basquetebol durante anos, encontrou no desporto e no jornalismo as suas maiores paixões. Um dos maiores desejos é ser uma das vozes das mulheres no mundo do desporto e ambição para isso mesmo não lhe falta.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA