O Sporting, o Porto e o Madeira Sad conseguiram seguir em frente nas competições europeias. Prestações gigantes para as equipas portuguesas que têm agora mais trabalho pela frente. O Benfica não teve a mesma sorte e foi eliminado da Taça EHF.

O Sporting nem precisou de jogar as duas finalíssimas que completavam o calendário da fase de grupos da Liga dos Campeões. Bastou uma frente ao Besiktas Mogaz para levar os leões à próxima fase da prova – um feito inédito, que nenhuma equipa portuguesa alcançou até hoje no novo formato da competição. O Tatran Presov acabou por ser derrotado pelo Chekhovski Medvedi, antecipando o apuramento dos verde e brancos, que asseguraram o 2º lugar do grupo. Agora falta o playoff de acesso aos 1/8 de final.

O rendimento do Sporting na prova é, de facto, espetacular – em nove jogos, registaram sete vitórias e duas derrotas (ambas em casa), e um total de 276 golos marcados (segundo melhor registo do grupo) e 248 sofridos (terceira melhor defesa do grupo) – um saldo positivo de 28 golos.

O caminho até agora é impressionante e destaco, ainda, a posição de Carlos Ruesga na lista de melhores marcadores. O espanhol é o 8º jogador com mais golos da Liga dos Campeões, com 46 tentos (16% dos golos do Sporting): um pilar essencial do plantel, treinado por Hugo Canela.

Anúncio Publicitário

O Benfica e o Porto tinham uma tarefa muito complicada na 3ª eliminatória da Taça EHF.

O Porto, ao contrário daquilo que seria esperado, conseguiu virar a eliminatória frente ao 2º classificado da Bundesliga, Magdeburg, e apurar-se para a fase de grupos. Uma exibição de excelência premiou os dragões com uma vitória por 34-27. Os alemães, que já venceram a Liga alemã e eram favoritos, traziam uma vantagem de 3 golos do 1º jogo, mas o Porto mostrou um andebol de excelência e de grande eficácia. O Magdeburg foi finalista da Taça EHF no ano passado, ficando, nesta fase, pelo caminho. Com base naquilo que o Porto mostrou nesta eliminatória, é justo dizer que a equipa portuguesa pode ter uma palavra a dizer nesta competição.

O Porto tinha pela frente uma tarefa quase impossível: eliminar os alemães do Magdeburg
Fonte: FC Porto

O Madeira Sad também tem motivos para festejar. Os madeirenses venceram os dois jogos da 3ª eliminatória e garantiram um lugar nos 1/8 de final da Taça Challenge. Frente ao JD Techniek Hurry-Up, o Madeira Sad venceu por 21-37 no 1º jogo e por 32-28 no 2º –domínio da equipa portuguesa, com um resultado bastante expressivo no agregado das duas mãos (69-49).

Já o Benfica foi eliminado pelo Hannover-Burgdorf, que ocupa o 10º lugar da Bundesliga. Os alemães venceram o 1º jogo da eliminatória por cinco golos, o que acabou por sentenciar as águias – um empate no 2º jogo a 33 golos não serviu para o Benfica seguir em frente na prova.

O Benfica sentiu grandes dificuldades frente aos alemães do Hannover-Burgdorf
Fonte: SL Benfica

A prestação das equipas portuguesas é, até agora, muito positiva: o Sporting apresenta o maior destaque ao alcançar uma vitória inédita do andebol português. É um grande sinal para o futuro. O Porto tinha uma tarefa quase impossível, mas conseguiu surpreender o Magdeburg e chegar à fase de grupos da Taça EHF, contrariando a teórica superioridade dos alemães. O Madeira Sad correspondeu às expetativas e o Benfica acabou por cair perante outra equipa alemã, o Hannover-Burgdorf.

Texto revisto por: Mariana Coelho

Foto de Capa: Sporting CP