Em janeiro de 2020, o Andebol português viveu os momentos mais gloriosos da sua história. Mas é preciso regressar quase um ano atrás, a abril de 2019, para perceber quando começou esta aventura.

Portugal estava há vários anos afastado dos grandes palcos das competições internacionais de seleções. Desta vez, na qualificação para o Euro 2020, encontrava-se no Grupo 6 com a poderosa França, a Lituânia e a Roménia. À terceira jornada, ainda mantinha o registo intacto, com duas vitórias em dois jogos. Mas no dia 11 de abril de 2019, na terceira jornada, marcava encontro com a super-poderosa França, em Guimarães, um jogo que à partida terminaria com a vitória dos Les Blues. O pavilhão estava cheio e não ia desistir de apoiar a seleção de todos nós.

A partida começou e os comandados de Paulo Pereira entraram mais fortes e a assumir a vantagem do marcador. Em termos ofensivos imperava a qualidade de Gilberto Duarte, Rui Silva e Fábio Magalhães, mas mais importante a estratégia de 7×6, que seria a principal arma de Portugal neste e em outros momentos. Uma defesa aguerrida, com Alexis Borges e Daymaro Salina no meio, no entanto, havia uma baixa de peso: Alfredo Quintana.

Apesar disso, os experientes Humberto Gomes e Hugo Figueira iriam demonstrar que a idade, neste jogo, não importava. A primeira parte foi equilibrada, mas com Portugal a conseguir ter sempre vantagem, mesmo que fosse de apenas um ou dois golos. Estas mínimas vantagens duraram até ao final do primeiro tempo, quando Portugal conseguiu aumentar esta vantagem para quatro golos, sendo o resultado ao intervalo 17-13.

Diogo Branquinho a festejar um dos seus três golos
Fonte: FAP

A segunda parte esperava-se de grande dificuldade, pois, a França ia fazer de tudo para conseguir dar a volta ao marcador. A vitória, apesar de tudo, nunca esteve em perigo. Portugal fez uma segunda parte irrepreensível, conseguindo manter sempre a vantagem de, pelo menos, cinco golos, tendo chegado até a vencer por sete ou oito golos, impedindo a seleção francesa de se aproximar perigosamente no marcador. Chegou o final da partida e a festa começou em Guimarães.

Anúncio Publicitário

Considero que mesmo que se o resultado tivesse sido diferente, Portugal continuaria a marcar presença no Euro 2020, por ser consideravelmente melhor que a Roménia e que a Lituânia. Mas este jogo significou muito mais do que isso. Este jogo foi a prova que havia condições para ambicionar voos mais altos e que nenhuma equipa no mundo nos iria vencer facilmente.

Foi o ponto de partida para que, em janeiro deste ano, voltássemos a vencer a França e que surpreendêssemos o mundo do Andebol ao conseguirmos a melhor classificação de sempre em Europeus e a qualificação para o Torneio Pré-Olímpico. Devido à situação que enfrentamos, foi nos retirada a hipótese de voltar a fazer história este ano, mas é certo que a nossa seleção nos vai proporcionar mais belos momentos quando defrontar a Tunísia, a Croácia e, novamente, a França na tentativa de nos qualificarmos para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Pode rever o jogo aqui.

Foto de Capa: FAP

Comentários