Anterior1 de 2Próximo

Cabeçalho modalidadesSporting CP e FC Porto, um deles seria campeão, era o anunciado ainda antes da época começar, mas na temporada passada tal aconteceu também e os finalistas foram… ABC e Benfica.

Este ano o campeonato voltou a não ter playoff mas o jogo de hoje foi uma autêntica final para o Sporting, uma vitória do Porto dava o título, uma vitória do Sporting podia por os leões à frente da classificação a duas jornadas do fim.

O jogo começou muito tático, com o Porto a ser o primeiro a marcar, mas o Sporting a ter maior primazia no jogo.  A jogar com oito devido ao muito apoio o Sporting esteve sempre na frente depois de fazer o 3-2 e chegou aos quatro golos de vantagem, mas a dois minutos do intervalo o jogo estava empatado a 14.

A defesa do Porto nesta primeira parte foi muito mais agressiva que a do Sporting, no bom e no mau sentido da palavra, enquanto do lado leonino foi Cudic a fazer a diferença a nível defensivo, como prova a defesa no livre de 7 metros que manteve a liderança do Sporting no descanso. Ao intervalo a diferença de um golo a favor do Sporting (15-14) demonstra o equilíbrio que foi o jogo nesta primeira parte, apesar de uma vantagem de mais um golo não ser totalmente descabida.

Ao intervalo o líder dos Super Dragões, Fernando Madureira, entregou uma coroa de flores em homenagem a Marco Ficini, assassinado, através de atropelamento por um membro dos No Name Boys.

Num jogo muito equilibrado, o FC Porto conseguiu manter a liderança do campeonato Fonte: Sporting Clube de Portugal - Andebol
Num jogo muito equilibrado, o FC Porto conseguiu manter a liderança do campeonato
Fonte: Sporting Clube de Portugal – Andebol

O Sporting entrou da melhor forma na segunda parte e aumentou a sua vantagem para os três golos necessários para passar para a liderança do campeonato e com vantagem no confronto direto. Com 13 minutos da segunda parte, o Sporting liderava o jogo por seis golos, uma grande vantagem, mas já muitas vezes desperdiçada contra este adversário nos outros jogos do campeonato.

Hugo Laurentino entrou a meio da segunda parte na tentativa de parar o ataque verde e branco, mas não conseguiu evitar mais dois golos em dois minutos e o treinador do Porto, Ricardo Costa, foi forçado a pedir um tempo técnico a faltar pouco mais de 12 minutos para o fim do jogo e quando o resultado estava em 23-16 para o Sporting.

Depois do tempo técnico, o Porto entrou com tudo e reduziu para 23-19 em menos de três minutos, sendo a vez de Hugo Canela ser obrigado a pedir um minuto. Os pesadelos das recuperações portistas estão bem vivas na cabeça dos sportinguistas e notou-se a maior apreensão entre os adeptos, em oposição à maior festa dos adeptos nortenhos. A defesa portista subiu e causou muitas dificuldades ao Sporting, e a cinco minutos do fim a vantagem era apenas de três golos, a vantagem mínima que dava a liderança ao Sporting.

A praticamente dois minutos do fim, Rui Silva reduz para dois a vantagem do Sporting, mas no lance seguinte Carlos Ruesga devolve os três golos de vantagem. Num jogo do gato e do rato os dois clubes marcam no seu ataque seguinte e a 4 segundos do fim o Sporting vence por três, mas a 2 segundos a diferença volta aos dois golos. O Sporting acaba o jogo a atacar com sete, na ânsia de atingir o golo que precisava, mas um mau passe mete a bola fora e a faltar cinco segundos o Porto tinha a bola. Rui Silva num potente remate marca e apesar da derrota fica a um passo mais próximo do título. Muitas críticas por parte do Sporting que considera que o golo foi depois do tempo. Cudic terminou o jogo a chorar, o guarda redes do Sporting foi quem menos mereceu este resultado, e pareceu muito mal batido no lance do último golo. É caso para dizer, contratem um psicólogo para o Sporting, perder sucessivamente vantagens de sete golos tem de ser problema psicológico e não de jogo.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários