Desde o início da década de 2010, o andebol português foi sofrendo um conjunto de alterações e evoluções que tinham como objetivo recuperar o nível e credibilidade que se havia perdido nos anos anteriores – má gestão financeira e desportiva dos clubes e da federação tinham deixado o nome de Portugal um pouco manchado na Europa.

Todas essas alterações atingiram o seu expoente máximo na época que agora acabou. Um ano de 2018/2019 que foi absolutamente histórico e que terminou com a confirmação de que finalmente se tinha recuperado a reputação perdida.

Quando, no passado dia 15 de Junho, o Sporting Clube de Portugal anunciou Thierry Anti como seu novo treinador, substituindo Hugo Canela no comando técnico dos leões, percebeu-se que o mote já não era a recuperação, mas sim a afirmação e o crescimento do andebol nacional na europa.

Francês de 60 anos, Anti fez toda a sua carreira em França. Venceu um campeonato francês, uma segunda divisão francesa, quatro Taças de França, uma Supertaça, duas Taças da Liga e na época 2017/2018 levou o Nantes até à final da Liga dos Campeões, perdendo na final frente ao Montpellier.

Nos dez anos que esteve ao serviço do Nantes, entre 2009 e 2019, levou um clube pequeno, que acabara de subir à primeira divisão francesa, aos maiores palcos do andebol europeu e a ser favorito em todas as competições que disputa. Com um crescimento sustentado e gradual, o Nantes foi ganhando o seu espaço a nível interno, e dois anos depois da sua chegada apurou-se pela primeira vez para as competições europeias, um dos marcos na história do clube. Desde então, o rumo da equipa francesa tem sido de constante crescimento, lutando várias vezes cara-a-cara com adversários com orçamentos muito superiores.

Thierry Anti levou a equipa de Nantes à final da Liga dos Campeões de Andebol, perdendo para o Montpellier
Fonte: HBC Nantes

Thierry Anti é, atualmente, um dos melhores treinadores do mundo. No entanto, pode ficar a pergunta: Hugo Canela era bicampeão, vencedor de uma Taça Challenge e acabava de fazer uma caminhada histórica na Liga dos Campeões, perdendo apenas frente ao vice-campeão europeu Veszprém. Porquê mudar?

Esta é uma pergunta pertinente e que não tem uma reposta certa. Hugo Canela é também, neste momento, um dos melhores treinadores a nível europeu, e a equipa parecia seguir na direção correta, com uma mistura interessante de experiência e jovens vindos da formação. Mas agora é Anti o timoneiro da equipa leonina, e o futuro parece risonho.

O andebol português é, nos dias de hoje, um mercado bastante apetecível, e não só para atletas em fim de carreira que querem aproveitar os seus últimos anos num país com bom tempo e boa gastronomia. O apuramento para o Europeu 2020 a nível de seleções e as excelentes campanhas de Sporting CP, FC Porto e Madeira SAD nas competições europeias chamaram a atenção e demonstraram toda a qualidade existente. Não só isso, mas também mostraram que Portugal e os seus clubes podem ambicionar outros voos e que apenas participar já não é o suficiente.

A contratação de Anti é uma confirmação desta afirmação e é uma aposta por parte do Sporting na tentativa de voltar a conquistar um título europeu no futuro próximo. O primeiro passo está dado com a aposta num treinador experiente nas competições europeias. Agora tudo irá depender do mercado. Mas uma coisa é certa.

O andebol português está bom e recomenda-se, e a chegada de uma figura deste gabarito foi apenas o primeiro passo naquele que, pode ser, um novo capítulo de ouro na sua história.

Foto de Capa: SCP Modalidades

Comentários