A CRÓNICA: DRAGÕES FICARAM A “ISTO” DA VITÓRIA

O FC Porto voltou à Macedónia para defrontar o Vardar na quinta jornada da EHF Champions League. Ambas as equipas já se tinham encontrado na época passada na mesma fase, tendo, na altura, cada equipa conquistado uma vitória no seu pavilhão. Este ano, na equipa do Vardar, estão dois conhecidos dos adeptos portugueses: Borko Ristovski (ex-SLB) e Marko Vujin (ex-SCP).

A equipa da casa entrou a vencer na partida, que começou algo agressiva, com uma exclusão para cada equipa logo nos primeiros minutos. Este tem sido um problema para o FC Porto em termos defensivos, já que os seus defensores centrais se encontram regularmente com duas exclusões, pondo em causa a sua prestação defensiva. Hoje não foi diferente, com Victor Iturriza a sofrer duas suspensões de dois minutos logo aos seis minutos da partida. O resultado estava equilibrado.

Magnus Andersson apostou no 7×6 ainda dentro dos dez minutos iniciais, tentando assim superar as dificuldades que a organização defensiva do Vardar (5×1) estava a causar à sua equipa. Ambos os guarda-redes, Borko e Mitrevski, entraram bem na partida e logo aos 12 minutos surgiu a primeira interrupção da partida pedida pelo treinador “azul e branco” para tentar melhorar a prestação do 7×6 (4-4).

Nessa altura, também Gleb Kalarash tinha sido excluído duas vezes e na segunda os visitantes aproveitaram para chegar à frente do marcador pela primeira vez na partida (4-5). Essa vantagem surgiu de um parcial de 0-6 dos “dragões”, que em menos de dez minutos passaram de perder por dois golos para estar a vencer por quatro (4-8). Após o seu treinador ter pedido time out, o Vardar conseguiu um parcial de 4-1, voltando a estar a apenas um golo de diferença do FC Porto.

Anúncio Publicitário
Fábio Magalhães foi fenomenal na organização dos ataques azuis e brancos.
Fonte: FC Porto Sports

Os azuis e brancos ainda voltaram a ter três golos de vantagem, mas até ao intervalo a equipa da Macedónia conseguiu recuperar a desvantagem e sair para o intervalo a vencer 13-12.

O jogo recomeçou com uma defesa muito agressiva do Vardar, enquanto o FC Porto “vivia” apenas da ligação entre Fábio Magalhães e Victor Itorriza. Durante esse período, a equipa da casa conseguiu conquistar uma vantagem de dois golos (16-14). Aos 41 minutos, com a sua equipa a perder por apenas um golo, Magnus Andersson voltou a pedir paragem do jogo, que resultou no empate a 19 golos a meio da segunda parte.

Pouco depois, os azuis e brancos regressam ao 6×6 e assumem a frente do marcador. Isto levou a que o Vardar voltasse à sua organização defensiva de 5×1. O jogo corria de feição aos “dragões” que haviam regressado à frente do marcador e já venciam por dois golos a menos de dez minutos do final da partida (21-23). Essa vantagem levou Stevce Alusevski a pedir o seu último time out da partida.

O FC Porto entrou nos últimos cinco minutos da partida com dois golos de vantagem e prestes a fazer história novamente, mas não conseguiu marcar durante quatro ataques, permitindo que o Vardar voltasse para a frente do marcador (25-24), a pouco mais de trinta segundos do fim. Era tempo mais que suficiente para o treinador alemão do FC Porto parar o jogo e preparar o 7×6 naquela que provavelmente seria a última posse de bola azul e branca.

A jogada não correu como previsto. Quando já se pensava que os dragões iriam perder o jogo, a bola sobrou para António Areia que, no último segundo da partida, rodeado de adversários, conseguiu marcar o golo que deu o empate à sua equipa. O resultado final fixou-se no 25-25.

Jogo fenomenal do FC Porto, que já parece ter encontrado o seu ritmo, mas ainda conta com algumas ausências. Esse é caso de Rui Silva, Djibril M’Bengue e Miguel Martins (lesionou-se nos instantes inicias da partida). Foram excelentes as exibições de Victor Iturriza, que aguentou 54 minutos com duas exclusões, Fábio Magalhães e do jovem Martim Costa.

A FIGURA

Fonte: FC Porto Sports

Victor Iturriza: Adivinha-se uma noite difícil para Iturriza, após ter recebido duas suspensões de dois minutos numa fase muito prematura da partida. No entanto, manteve-se concentrado na partida e no seu trabalho e foi uma das razões para o FC Porto alcançar este resultado, contribuindo com sete golos (88%).

 

O FORA DE JOGO

Fonte: FC Porto Sports

André Gomes: Conseguiu dois bons golos numa fase crucial da partida, mas não esteve presente na partida, passando a maioria dela sentado no banco, mesmo com a ausência de três jogadores da primeira linha. Apenas três golos em nove remates (33%) são resultado de uma exibição menos positiva.

ANÁLISE TÁTICA – VARDAR

O Vardar entrou em campo com o seu habitual 5×1 com Timur Dibirov como defesa mais avançado, mas foi rapidamente “obrigado” a defender 6×0 devido à superioridade numérica adversária. Tal não foi impedimento para uma excelente prestação defensiva, liderado pelo experiente Borko Ristovski na baliza. Ofensivamente a equipa esteve menos bem, encontrando-se sempre muito dependente de ações individuais de Cupic e Marko Vujin, principalmente.

Sete Inicial e Pontuações

Borko Ristovski (7)

Timur Dibirov (5)

Flip Taleski (4)

Lovro Jotic (4)

Marko Vujin (6)

Ivan Cupic (6)

Stojanche Stoilov (5)

Suplentes Utilizados e Pontuações

Gleb Kalarash (5)

Ante Gadza (5)

Josip Vekic (5)

 

ANÁLISE TÁTICA – FC PORTO

FC Porto entrou a defender no seu habitual 6×0 com Victor Iturriza e Daymaro Salina no meio. Do outro lado, encontrou o 5×1 muito avançado que lhe causou muitas dificuldades inicialmente, levando a equipa a jogar a maioria do jogo com o 7×6. A prestação defensiva foi boa, principalmente quando conseguiu colocar mais pressão na circulação ofensiva adversária.

A decisão de regressar ao 6×6 nos minutos finais, pode não ter sido a melhor já que a equipa teve imensas dificuldades ofensivas e dependeu bastante da capacidade individual de André Gomes, mas percebe-se que talvez fosse demasiado arriscado dar a oportunidade de golos fáceis e rápidos ao Vardar na altura. A última jogada da partida, já com 7×6, não foi bem realizada, mas no final a sorte esteve um pouco do lado do FC Porto e pode-se dizer que foi merecido. 

Sete Inicial e Pontuações

Nikola Mitrevski (7)

Leonel Fernandes (6)

André Gomes (5)

Miguel Martins (-)

Diogo Silva (5)

António Areia (8)

Victor Iturriza (9)

Suplentes Utilizados e Pontuações

Alfredo Quintana (5)

Daymaro Salina (5)

Ivan Sliskovic (5)

Diogo Branquinho (5)

Martim Costa (6)

Fábio Magalhães (6)

Artigo revisto por Inês Vieira Brandão

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome