Cabeçalho modalidades

Antes de partirem para os Mundiais de Atletismo que decorrem este ano em Londres, os atletas portugueses deslocaram-se a Vagos para disputar a última fase do campeonato. Mais uma vez, Patrícia Mamona e Nélson Évora foram os atletas em destaque depois de já terem brilhado no campeonato da Europa ao trazerem para ‘casa’ as medalhas de prata e ouro, respectivamente. Numa prova onde o vento foi o pior inimigo, os atletas do Sporting voltaram a mostrar que estão numa forma incrível e, que a continuarem assim, é bem provável que se crie uma hegemonia sportinguista nas próximas temporadas, no que ao triplo salto diz respeito.

Nélson Évora trocou o Benfica pelo Sporting quando muita gente já o dava como ‘acabado’ para a modalidade depois das várias lesões que o vinham a atormentar de há uns anos para cá. A verdade é que o português continua a dar cartas no desporto que o tornou um ídolo nacional e, desta vez, Nélson Évora saltou 16,78 metros, marca que foi suficiente para arrecadar o título de campeão nacional de triplo salto. Este título vem coroar uma série de boas prestações do português que, tal como referido anteriormente, também arrecadou o título de campeão europeu em Março passado. Para além de Nélson Évora, também Marcos Caldeira teve uma prova interessante em Vagos, ao conquistar o terceiro lugar do pódio com a marca de 15,71 metros.

Em Março, Patrícia Mamona já tinha conquistado o título de vice-campeã europeia de triplo salto Fonte: Facebook oficial de Patrícia Mamona
Em Março, Patrícia Mamona já tinha conquistado o título de vice-campeã europeia de triplo salto
Fonte: Facebook oficial de Patrícia Mamona

No que ao troféu feminino diz respeito, Patrícia Mamona não esteve com cerimónias e conquistou o seu décimo título nacional consecutivo. Se alguém ainda tinha dúvidas em relação à grande forma da portuguesa, todas elas foram dissipadas, ainda para mais sendo ela a vice-campeã europeia de triplo salto em pista coberta. A verdade é que, cada vez mais, a hegemonia criada por Patrícia Mamona nas competições nacionais tem vindo a ser cimentada ao aliar a grande qualidade que possui a uma grande capacidade de trabalho, algo que lhe tem permitido ganhar títulos com regularidade e competir ‘olhos nos olhos’ com as suas maiores rivais europeias. A atleta de 28 anos arrecadou o título com um salto de 14,40 metros, oito centímetros a mais daquilo que tinha saltado em Março em Belgrado e que, na altura, tinha sido a sua melhor marca pessoal do ano.

Neste momento, o Sporting tem os dois melhores atletas portugueses de triplo salto, tanto no feminino como no masculino, algo que é sinónimo de títulos e boas prestações nacionais e europeias. Nélson Évora é uma contratação recente ao invés de Patrícia Mamona, atleta que tem muitos anos de casa. Para o Sporting e em particular para o atletismo enquanto modalidade verde e branca de referência, é muito importante que sejamos capazes de manter ambos os atletas por muitos mais anos, dando-lhes as condições necessárias para que continuem a vencer e a elevar o nome do clube o mais alto possível.

Anúncio Publicitário

Foto de Capa: Facebook oficial de Patrícia Mamona

Comentários