Cabeçalho modalidadesJá a semana passada, na nossa publicação inaugural, falámos aqui dos Mundiais de Londres. Na altura demos destaque aos portugueses, mas hoje falaremos um pouco mais daquilo que podemos esperar a nível global dos campeonatos que se iniciam já hoje e que durarão exactos 10 dias.

Antes de mais, público. Serão os campeonatos mundiais com maior público da história (e com bilhetes mais caros, diga-se) o que é sintomático da relação que a Grã-Bretanha tem com o Atletismo. Cerca de 700.000 bilhetes estão vendidos e as sessões noturnas estão todas praticamente esgotadas com bilhetes a variar entre as 45 e as 155 libras esterlinas. Isto falando do preço de venda ao público, não falaremos das vendas paralelas. A comunhão existente nos Jogos Olímpicos estará mais uma vez presente e certamente que Londres estará à altura dos acontecimentos e deixará atletas, treinadores e espectadores a salivar por mais.

De seguida, pode-se esperar despedidas emotivas. Mo Farah (GBR) o atleta da casa e verdadeiro herói nacional (é já Sir!) irá deixar as pistas no final desta temporada, virando-se para as provas de estrada (a idade não perdoa…) e quererá certamente despedir-se em casa dando aos adeptos aquilo que todos esperam: mais dois Ouros mundiais nas suas provas de eleição, os 5.000 e os 10.000 metros.

O jamaicano é o único bicampeão nas categorias de velocidade nos JO Fonte: businessinsider
Fonte: businessinsider

Mas claro que não é apenas de Farah que se falará quando se falar de despedidas. O mundo certamente irá centrar as suas atenções na despedida de Usain Bolt do Atletismo. O maior sprinter de toda a história, o atleta mais rápido de sempre fará em Londres a sua despedida, correndo apenas os 100 metros e as estafetas 4×100. Desta vez, preferiu não correr a sua distância preferida, os 200 metros, e bem na nossa opinião. Muita emoção é o que se espera na final dos 100 metros já este sábado à noite, naquela que será a última prova individual de Usain Bolt. O astro jamaicano não tem feito uma época excepcional (aliás, tem sido a pior desde que atingiu o estrelato), mas sabemos como o mesmo responde em grandes eventos e não podemos deixar de o apontar como favorito, apesar da concorrência de nomes como Yohan Blake, Justin Gatlin ou Christian Coleman. De Grasse, que poderia ser também uma ameaça, falhará os campeonatos por lesão.

E recordam-se que dissemos que achávamos bem Bolt abdicar dos 200 metros? Pois bem, a razão é que Bolt espera vencer e acabar em grande em Londres e nos 200 vai estar um monstro: Wayde Van Niekerk arrebatou o mundo ao bater o recorde mundial dos 400 metros que durava há mais de 17 anos e este ano espera conquistar o Ouro nos 400 e…nos 200!

Comentários