Do dia 1 ao 4 deste mês realizaram-se os Mundiais de Pista Coberta e só se estiveram muito desatentos não repararam que estivemos por Birmingham a acompanhar tudinho ao vivo! Com este artigo, iremos, em definitivo, encerrar as nossas publicações no que se refere aos mesmos, procurando fazer uma análise geral de tudo o que aconteceu, mais ou menos positivo.

Resultados

Pode-se dizer que tivemos uns Campeonatos com bastante sucesso neste aspecto. Foram batidos 5 recordes dos campeonatos e 1 recorde mundial. Mas as grandes marcas começaram logo no segundo dia (e o segundo mais forte dos campeonatos). Murielle Ahouré (CIV) tornou-se a nova campeã mundial da velocidade (60 metros), correndo em 6.97, naquela que é a melhor marca dos últimos 8 anos. Antes disso, já tínhamos tido um fantástico concurso de Salto em Comprimento, em que os três primeiros ficaram separados por 3 escassos centímetros (8.46 – 8.44 – 8.42), com a vitória a sorrir ao jovem cubano de 19 anos, Miguel Echevarria, batendo o actual campeão mundial ao ar livre. Para se ter uma ideia da qualidade, o Salto que deu a medalha de Bronze daria para vencer os últimos 8 campeonatos mundiais indoor!

No terceiro dia, o dia de mais emoções, começámos com a queda durante a manhã do recorde dos campeonatos no Lançamento do Peso (Tom Walsh, ao lançar 22.31 metros) e tivemos direito a mais um recorde dos campeonatos (Sandi Morris saltou 5.95 com a Vara) antes de passarmos à velocidade. Aí duas estrelas norte-americanas brilharam. Kendra Harrison (USA) conquistou, finalmente, o seu primeiro grande título global e com estrondo nos 60 metros barreiras: recorde dos campeonatos em 7.70 (igualando o recorde norte-americano) e tornando-se a primeira mulher da história a correr por três vezes abaixo dos 7.80 nos mesmos campeonatos (aliás, nunca ninguém o tinha feito duas vezes sequer). Christian Coleman também viria a bater um aguardado recorde dos campeonatos, ao correr em 6.37 segundos, deixando cair mais um recorde de Maurice Greene.

Anúncio Publicitário
Fonte: IAAF

Nessa mesma noite, tivemos ainda Courtney Okolo a correr a 4ª melhor marca de sempre norte-americana nos 400 metros (50.55), vimos um Heptatlo terminar com a diferença de…apenas 5 pontos (!) e vimos Genzebe Dibaba fazer uma dobradinha (1500/3000) pela primeira vez na sua carreira, a suceder a uma fantástica prova inaugural de 3.000 metros logo na primeira noite.