O Salto com Vara, muito esperado, acabou por deixar para o final os três que se adivinhavam como favoritos: Sam Kendricks (USA), Armand Duplantis (SWE) e Piotr Lisek (POL). Os três passaram a 5.87 metros, naquela que foi a fasquia máxima que o polaco passou, ficando-se pela medalha de Bronze. Já Sam Kendricks que até teve quase a ficar-se pelos 5.87 metros (passou à 3.ª tentativa, depois de dois derrubes), foi o único a passar à primeira os 5.92 metros, o que lhe deixou na frente do concurso, mas viu Duplantis passar, à terceira, os 5.97 metros. Kendricks (USA) – que já havia falhado duas vezes a essa altura – tinha mais uma tentativa e…também passou a 5.97 metros!

Sam Kendricks renova o título mundial em Doha
Fonte: IAAF

Depois ambos tentaram a 6.02 metros, mas nenhum transpôs essa fasquia, pelo que Sam Kendricks (USA) renovou mesmo o título de campeão mundial da disciplina, com Armand Duplantis (SWE) a conquistar a Prata, aos 19 anos, nos seus primeiros Campeonatos Mundiais.

Já no concurso do Lançamento do Dardo, o nível não foi dos mais elevados que já vimos e isso normalmente abre espaço a surpresas. E foi o que aconteceu. A grande favorita, Lyu Huihui (CHI), tinha 12 vitórias consecutivas neste ano, mas, mais uma vez, não conseguiu replicar esses resultados em grandes campeonatos, tendo sido Bronze, com o melhor lançamento a 65.49 metros. Huihui viu a sua compatriota Liu Shiying (CHI) passar para a frente do concurso ao 5.º ensaio, com 65.88 metros, seu melhor da temporada, mas com certeza que nenhuma das duas esperava o lançamento da australiana Kelsey-Lee Barber (AUS) a 66.56 metros no último ensaio, passando para a frente e conquistando o Ouro, protagonizando mais uma grande surpresa nestes campeonatos.

A grande surpresa da noite chegou no Dardo
Fonte: Australia Athletics

OUTROS DESTAQUES

Nas semifinais dos 400 metros femininos, Shaunae Miller-Uibo (BAH) e Salwa Eid Naser (BRN) demonstraram a sua enorme superioridade, baixando ambas dos 50 segundos (Miller-Uibo em 49.66 e Naser em 49.79) e aparentando, ambas, terem muito mais no “tanque”. As duas poderão baixar dos 49 segundos na final de quinta-feira…

Anúncio Publicitário

Já nas semifinais dos 200 metros, parece haver cada vez mais favoritas a cair ou a desistir, sendo que antes mesmo destas semifinais, foi a vez de Elaine Thompson (por ressentir-se de lesão) juntar-se a uma lista que conta com Dafne Schippers (lesionou-se nas semifinais dos 100), Shelly-Ann Fraser-Pryce (sentiu não estar em condições de fazer os 200) ou Blessing Okagbare (desqualificada nas eliminatórias), além da ausência de Shaunae Miller-Uibo, a líder mundial, pelo facto do calendário não permitir fazer os 200 e os 400. Dina Asher-Smith (GBR) é a clara favorita para a final e não pareceu ter qualquer dificuldade em ser a mais rápida da qualificação (22.16), podendo mesmo ser a única a baixar dos 22 segundos na final de amanhã.

AMANHÃ

Amanhã teremos em prova duas portuguesas, com Liliana Cá e Irina Rodrigues a começarem a sua participação no Disco, tentando o apuramento para a final. Liliana Cá entra em competição às 18 horas locais (menos duas em Portugal Continental) no Grupo A e Irina Rodrigues entrará às 19h25 (menos duas em Portugal Continental) no Grupo B. Para se apurarem diretamente, as atletas terão que lançar a 63 metros – o que no caso de Liliana Cá seria um recorde pessoal e no caso de Irina um melhor da temporada – ou então estar nas 12 primeiras, caso não haja 12 atletas a passar essa distância.

No que diz respeito a finais, o dia terá apenas três finais: o Lançamento do Martelo masculino, os 200 metros femininos e os 110 metros barreiras masculinos. Será também o 1.º dia do Decatlo e do Heptatlo, que decorrerão nestes Campeonatos de forma simultânea.

Foto de Capa: IAAF

Revisto por: Jorge Neves