Cabeçalho modalidades

Disputaram-se este fim-de-semana os Campeonatos Nacionais de Pista Coberta da I e II Divisões no Expocentro, em Pombal.

Quanto à prova da II Divisão, os vencedores foram o Grupo de Atletismo de Fátima, no sector feminino, e o AC Póvoa de Varzim, no sector masculino. Na Divisão principal o Sporting Clube de Portugal venceu de forma esclarecedora no quadrante feminino, enquanto que na vertente masculina Águias e Leões lutaram taco a taco, muito em parte devido ao precalço leonino na prova dos 400 metros, acabando o Sport Lisboa e Benfica por ser mais forte nas últimas 3 provas.

Como já vem sendo hábito, a equipa feminina do Sporting Clube de Portugal dominou a competição de forma incontestável, vencendo 11 das 14 provas disputadas: Lorene Bazolo (60 metros), Vitória Oliveira (3.000 metros marcha), Cátia Azevedo (400 e 800 metros) Olímpia Barbosa (60 metros barreiras), Evelise Veiga (triplo salto), Marta Onofre (salto com vara), Rosalina Santos (200 metros), Jéssica Inchude (lançamento do peso), Sara Moreira (3.000 metros) confirmaram o favoritismo que lhes era atribuído, com a estafeta 4×400, composta por Andreia Crespo, Dorothe Évora, Carina Vanessa e Filipa Martins, a ficar também no 1.º lugar da respectiva prova. Quanto às restantes 3 disciplinas, Yariadmis Arguelles (SL Benfica) venceu a prova do salto em comprimento, Catarina Queirós (ACD Jardim da Serra) foi primeira no salto em altura) e nos 1.500 metros foi Mariana Machado a dar 8 pontos ao SC Braga. Contas feitas, o Sporting CP terminou a competição destacadíssimo no 1.º lugar com 105 pontos somados, mais 26 pontos que o 2.º classificado, a Juventude Vidigalense.

O SC Braga fechou o pódio com 66 pontos somados, mais 1 que o SL Benfica e a metade inferior da tabela classificativa ficou assim ordenada: ACD Jardim da Serra (54 pontos), GD Estreito (53 pontos), GRECAS (46 pontos) e ACR Sra. do Desterro (34 pontos). As Leoas conquistaram assim o título pela 8.ª vez consecutiva, totalizando 23 triunfos em 25 edições da competição.

Anúncio Publicitário
O SL Benfica fez a festa no final Fonte: SL Benfica
O SL Benfica fez a festa no final
Fonte: SL Benfica

Já nos masculinos a competição acabou por ser bastante equilibrada. Os Leões até venceram 8 das 14 provas, no entanto uma desqualificação acabou por equilibrar a balança, aproveitando as Águias para assegurar a vitória final. Ancuiam Lopes (60 metros), Miguel Paim Marques (salto em comprimento), Nuno Lopres (1.500 metros), João Vieira (5.000 metros marcha), Nelson Pinto (salto em altura), Rasul Dabó (60 metros barreiras), Rubem Miranda (saldo com vara) e Carlos Nascimento (200 metros) triunfaram nas respectivas provas, enquanto que do lado encarnado os triunfos surgiram por intermédio de Ricardo Dos Santos (400 metros), Pablo Picharo (triplo salto), Tsanko Arnaudov (lançamento do peso), Samuel Barata (3.000 metros) e da estafeta 4×400, composta por Mauro Pereira, João Coelho, Raidel Acea e Ricardo dos Santos.

Nos 800 metros o vencedor foi Nuno Pereira, do GD Estreito, Sandy Martins, do Sporting CP, foi 2.º e o benfiquista João Fonseca ficou no 3.º lugar. Nos 400 metros o atleta Jordin Andrade, do Sporting CP, conseguiu cortar a meta em 2.º lugar, contudo foi desqualificado, isto porque pisou a linha limite interior do seu corredor, algo que não é permitido, o que fez com que o Sporting CP não somasse qualquer ponto. No final, acabou por ser o SL Benfica a ter mais 1 ponto somado (100) que o Sporting CP, recuperando assim o ceptro que na temporada transacta havia sido recuperado pela turma verde e branca. O SC Braga fechou o pódio com 68 pontos averbados, enquanto que a Juventude Vidigalense ficou no 4.º posto com 61.50 pontos. Seguiram-se GD Estreito (56.50 pontos), ACD Jardim da Serra e CA Seia (45 pontos) e Maia AC (27 pontos).

Quanto aos destaques individuais, nota para Tsanko Arnaudov que bateu o recorde nacional de lançamento do peso em pista coberta, que já lhe pertencia (21.08 metros), com a marca de 21.27 metros. Realce também para o apuramento de Cátia Azevedo nos 400 metros para os Mundiais Indoor de Birmingham, com a marca de 53.13 segundos, batendo assim o seu recorde pessoal em pista coberta (53.30 segundos). Por fim, referir que também na estafeta 4×400 masculina o recorde nacional indoor caiu “por 2 vezes”, isto porque tanto Águias como Leões melhoraram esse registo, com os encarnados a estabelecerem o novo recorde em 3 minutos e 13,45 segundos.

Foto de Capa: Sporting CP