A CRÓNICA: DÉRBI ETERNO PENDEU PARA O SPORTING CP

De volta ao Pavilhão Fidelidade, o SL Benfica recebeu o Sporting CP para mais um duelo a contar para o campeonato nacional de basquetebol. O dérbi eterno voltou a realizar-se e com duas equipas na quadra com vontade de arrecadar a vitória naquela que era a 23ª jornada da Liga.

Foram os leões a entrar melhor na partida, com uma elevada percentagem de acerto nos lançamentos e com um ritmo muito maior contrastando com as águias. Este início de jogo ficou marcado por bastantes faltas parte a parte e com vários lançamentos falhados, principalmente da parte do SL Benfica. No final, foi um lançamento exterior de Shakir Smith que aumentou a vantagem do Sporting CP para sete pontos, colocando o resultado num 21-14.

Anúncio Publicitário

No segundo quarto, o SL Benfica continuou a fazer aquilo que demonstrou nos primeiros dez minutos: aproveitar erros dos leões. Um segundo período marcado por jogadas rápidas de ambas as equipas, o que, consequentemente, demonstrou alguma ineficácia por parte dos momentos defensivos de ambas as equipas. No último ataque antes de recolher aos balneários, Rafael Lisboa acabou por tentar imitar Smith e também tentou fechar o período com chave de ouro. O tiro da linha de três pontos do jogador das águias igualaria o marcador, mas quando soou a buzina a bola ainda não tinha saído das mãos de Rafael Lisboa. Ao intervalo, vencia o Sporting CP por 37-34.

De volta ao encontro, viu-se o SL Benfica na frente do marcador pela primeira vez desde o apito inicial, mas os leões rapidamente deram a volta. Com uma pressão bastante alta sobre Arnette Hallman, para este não conseguir concretizar lançamentos, o Sporting CP entrou aguerrido no terceiro período. Com bastante fluidez nos momentos ofensivos, a equipa de Luís Magalhães levou uma vantagem de três pontos para o último quarto.

Nos dez minutos finais, as águias transpareceram um jogo muito mais temporizado e previsível, o que facilitou a vida ao Sporting CP, mesmo acabando por concretizar. Do lado contrário, os leões continuavam a apostar nos ataques rápidos e em transições ofensivas “à velocidade da luz”. Quem salvava o SL Benfica e o estava a meter na luta pelo resultado era Cameron Jackson, que estava a fazer um jogo exemplar.

Os encarnados acabaram por empatar a três minutos do final, mas o Sporting CP não olhou a meios e ligou o turbo em direção à vitória. Com um parcial de 14-2 até ao final, os leões levaram a vitória de rajada, ao derrotar as águias por 75-87.

 

A FIGURA

Fonte: Carlos Silva/Bola Na Rede

Micah Downs – Foi fundamental no dérbi frente à sua antiga equipa. Micah Downs, a par de Travante Williams, foi dos mais influentes no jogo dos leões, mostrando uma capacidade ofensiva tremenda.

O FORA DE JOGO

Fonte: Carlos Silva/Bola Na Rede

Nic Moore – O jogador do SL Benfica mostrou-se totalmente à parte do jogo. Não mostrou qualquer tipo de influência positiva no jogo das águias, tendo passado praticamente despercebido no encontro.

 

ANÁLISE TÁTICA – SL BENFICA

Depois de entrar na quadra com o melhor cinco inicial disponível, a equipa de Carlos Lisboa aproveitou os erros do Sporting CP, tanto a nível ofensivo como defensivo, para elevar o seu jogo. A diferença de aturas entre jogadores potenciou o número de ressaltos das águias e a defesa cerrada homem a homem facilitou mais a tarefa. A nível ofensivo, a alternância entre o tiro exterior e as jogadas interiores foi fundamental na construção de jogo e de resultado.

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

Quincy Miller (6)

Eric Coleman (5)

João “Betinho” Gomes (7)

Bryce Alford (6)

Rafael Lisboa (5)

SUBS UTILIZADOS

Fábio Lima (6)

Nic Moore (4)

Tomás Barroso (6)

Arnette Hallman (7)

Cameron Jackson (8)

 

ANÁLISE TÁTICA – SPORTING CP

Existem sempre dois fatores fundamentais no jogo do Sporting CP: Travante Williams e bloqueios. O primeiro dispensa qualquer tipo de apresentações, dada a sua qualidade ofensiva. Os leões recorriam bastantes vezes aos bloqueios diretos, abrindo espaço suficiente para um atirador “tentar a sorte” ou, a partir daí, construir outro tipo de jogada. A nível defensivo, recorriam a uma marcação individual sobre os jogadores do SL Benfica.

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

Travante Williams (8)

John Fields (7)

Diogo Ventura (7)

Micah Downs (8)

James Ellisor (7)

SUBS UTILIZADOS

Shakir Smith (6)

João Fernandes (5)

Claúdio Fonseca (5)

Pedro Catarino (6)

Foto de Capa: Carlos Silva/Bola Na Rede

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome