A CRÓNICA: A CONSISTÊNCIA E O BRIO DAS ÁGUIAS VOLTARAM PARA GARANTIR VITÓRIA

De volta para mais um jornada na Liga de Basquetebol, o SL Benfica recebeu a UD Oliveirense num jogo que se esperava mais equilibrado do que aquilo que realmente foi.

O primeiro período do encontro começou algo lento. Ambas as equipas não estavam a ser certeiras e o resultado demorou a ser construído. Os dez minutos cimeiros da partida demonstraram um nível de jogo bastante balanceado entre as duas formações, mas o SL Benfica levou a melhor (23-15).

Anúncio Publicitário

No segundo quarto, estreou-se o jovem Thomas Bolte pelas águias, que apesar de não ter tido muitos minutos de oportunidades para se mostrar, aproveitou ainda os que teve. O resultado até ao intervalo foi construído por lançamentos exteriores e lances livres, que acabaram por culminar num 41-33 favorável à turma de Carlos Lisboa.

Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

No recomeçar do jogo, a formação de Norberto Alves mostrou não querer desistir de vencer, tendo estado inclusiva a perder apenas por dez pontos. O problema foi a eficácia do SL Benfica em cada lançamento em que os jogadores eram chamados a agir.  A equipa de Oliveira de Azeméis começou a apostar num jogo defensivo mais agressivo, o que levou as águias muitas vezes à linha de lance livre e poucas foram as vezes que erraram o caminho do cesto.

Os dez minutos finais do jogo deram para “tudo”. Viu-se um SL Benfica com vontade de mostrar o que era realmente basquetebol. Depois da grande exibição que os encarnados fizeram ao longo da partida, o quarto período acabou por ser bastante descontraído para as águias e de alta pressão para a equipa visitante. Quando se ouviu o buzzer do final do jogo, venceu o SL Benfica por uns distantes 90-74.

 

A FIGURA

Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Eric ColemanFoi o plus one do SL Benfica na quadra durante o encontro. Com um duplo-duplo, de 14 pontos e dez ressaltos, Eric Coleman foi um dos jogadores mais importantes no cinco do Benfica, no minutos em que alinhou na partida.

O FORA DE JOGO

SL Benfica
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

João GrossoNão esteve ao nível que costuma apresentar. O jovem português da UD Oliveirense esteve num dia mau e não teve tanta influência na equipa de Oliveira de Azeméis como tem habituado.

 

ANÁLISE TÁTICA – SL BENFICA

O SL Benfica continuou a apresentar o estilo de jogo recorrente de Carlos Lisboa. O jogo ofensivo era caracterizado por jogadas dentro do “garrafão” e contra-ataques, após turnovers da UD Oliveirense.

As transições defensivas das águias eram concretizadas através de uma marcação individual bastantes cerrada, onde, em certos duelos entre jogadores, o SL Benfica acabaria a tirar vantagem da altura dos jogadores da sua formação.

Carlos Lisboa convocou dois jogadores da equipa de sub-22 para integrarem o plantel, Jaylen Key e Thomas Bolte, e os jovens não desperdiçaram a oportunidade, principalmente Key. 

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

Eric Coleman (8)

José Silva (6)

Betinho (7)

Demond Carter (6)

Arnette Hallman (5) 

SUBS UTILIZADOS

Fábio Lima (7)

Rafael Lisboa (7)

Cameron Jackson (6)

Jaylen Key (6)

Thomas Bolte (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – UD OLIVEIRENSE

A UD Oliveirense recorreu à marcação individual quando necessitava de defender e a igualdade de alturas entre alguns jogadores de ambas as equipas foi um fator fundamental para essas não existirem trocas defensivas.

Nas transições ofensivas, a equipa de Oliveira de Azeméis optava por utilizar o jogo interior da equipa. A utilização de passes rápidos e jogadas estudadas foram, muitas vezes, aliadas da UD Oliveirense. 

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

Ec Mathews (5)

Travis Munings (8)

José Barbosa (6)

João Guerreiro (7)

Justin Alston (7) 

SUBS UTILIZADOS

João Grosso (4)

Shaquille Clear (5)

Francisco Albergaria (5)

Renato Azevedo (-)

Nelson Jossias (-)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome