logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

Vitória SC FC Porto

Vitória SC 66-99 FC Porto: Vitória SC perdeu o folêgo, FC Porto venceu folgado

A CRÓNICA: OS VITORIANOS ATÉ COMEÇARAM MELHOR, MAS A FRESCURA E QUALIDADE INDIVIDUAL SOBREPUSERAM-SE

O Vitória SC recebeu nesta quarta-feira, dia 22, o FC Porto em jogo a contar para o principal escalão do basquetebol nacional.

A equipa vimaranense que, à partida para este jogo é última classificada, com apenas uma vitoria em onze jogos, encontra os dragões que, em dez jogos apenas tiveram um desaire, na última jornada, frente ao CAB Madeira.

Num jogo que, à partida, seria dominado pela equipa visitante, dados aos argumentos diferentes que apresenta, foi o Vitória SC a entrar melhor.

Agressivos, tanto no ataque como na defesa, os vitorianos quiseram fazer jus à alcunha de conquistadores e foram para cima do vice-campeão nacional sem qualquer medo.

Num primeiro tempo onde o FC Porto demorou a atinar, foi aproveitando o Vitória para ser mais forte na luta das tabelas e provocar turnovers aos azuis e brancos, partindo para o segundo tempo a vencer por 25-21.

No segundo tempo, a música já foi outra. Com um parcial de 3-13 a começar o período, a equipa dos dragões foi ganhando confiança e recuperou aquilo que tinha sido a desvantagem criada por um mau arranque de jogo. Max Landis apareceu, com quatro triplos em cinco tentados, um deles do meio da rua, a bater o relógio, que mandou toda a gente para os balneários. Intervalo: 39-43, a favorecer a equipa portista.

Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede
Max Landis revelou-se importante no tiro exterior

A segunda parte chegou e as diferenças cada vez foram mais evidentes. O FC Porto, com uma rotação mais profunda e mais qualidade individual, foi alargando a vantagem sobre os vitorianos para números cada vez mais esclarecedores.

Francisco Amarante fez as pazes com o cesto e o FC Porto continuou a insistir no lançamento de três pontos para o sucesso coletivo da equipa.

Voytso apareceu a grande nível, colmatando a falta de eficácia do até então irrepreensível Max Landis. O Vitória SC entrou assim para o último e derradeiro (neste caso não tanto) período a perder por 55-72.

Com tudo já mais ou menos decidido, as equipas entraram de novo com vontade de fazer pontos. Brandon Austin, do lado dos vimaranenses, aqueceu as mãos e afinou a pontaria, chegando aos 21 pontos, registo máximo na partida.

Do lado dos portistas, continuou a eficácia de Francisco Amarante, que com 5 em 7 de três pontos chegou aos 18 pontos na partida. Charlon Kloof, que andou um pouco desaparecido durante a partida, também apareceu e foi 100% eficaz nos lançamentos de campo, juntando quatro ressaltos e sete assistências. O placar fechou-se com um 66-99 para a equipa visitante.

O FC Porto registou assim a sua nona vitória na liga, enquanto o Vitória SC continua à procura da segunda.

 

A FIGURA

Francisco Amarante – Acabou o jogo com 17 pontos, 2 ressaltos, 3 assistências e 0 turnovers. Muito eficaz em todos os momentos em que foi solicitado. Apenas lançou de três pontos e lances livres, mas tudo isso fez muito bem – 5 em 7 de três e 3 em 4 da linha de lance livre. Foi o homem mais na equipa no terceiro tempo, altura em que a vantagem portista disparou para se tornar confortável

 

O FORA DE JOGO

Rashard Odomes – Fez 6 pontos, 2 ressaltos e 1 assistência nos 19,12 minutos que jogou. Todos os pontos que fez foi numa fase em que o jogo estava decidido e a equipa foi melhor sem ele. Muito hesitante em todos os momentos com bola, acabou por não conseguir concretizar nenhum dos 3 lançamentos de 3 pontos que tentou.

 

ANÁLISE TÁTICA – VITÓRIA SC

O Vitória SC entrou muito bem na partida, com André Bessa a comandar a equipa, mas a partir do segundo tempo perdeu o folego. Pouca profundidade na rotação e uma equipa bastante capaz do outro lado ditaram esta derrota pesada.

Começaram muito bem, com muita agressividade no ressalto e no ataque ao cesto, provocando também erros da equipa do FC Porto, conseguindo vantagem no fim do 1º tempo.

 

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

Brandon Austin (6)

Eric Coleman (6)

Hugo Soita (5)

André Bessa (7)

Malcom Drumwright (6)

SUBS UTILIZADOS

Manuel Magalhães (5)

Carlos Cardoso (7)

Jeremias Manjate (6)

 

ANÁLISE TÁTICA – FC PORTO

O FC Porto começou a partida com um 5 muito alto, com quatro americanos. Não teve a melhor entrada no jogo mas atinou no segundo tempo. Procurou abrir o campo e foi eficaz da linha dos três pontos. Miguel Queiroz foi referência no jogo interior, Max Landis muito efetivo e Brad Tinsley pautou muito bem o jogo.

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

Rashard Odomes (5)

Brad Tinsley (8)

Miguel Queiroz (8)

Jonathan Arledge (6)

Charlon Kloof (7)

SUBS UTILIZADOS

Max Landis (7)

Vladyslav Voytso (7)

João Torrie (5)

Francisco Amarante (8)

João Soares (6)

Foto de capa: Francisco Silva/BnR

O Francisco é natural de Santo Tirso. Encontra-se a tirar uma licenciatura em Ciências da Comunicação, na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Sempre teve uma paixão enorme pelo deporto, sobretudo pelo futebol. Tem também um gosto especial pelo basquetebol, mais concretamente NBA. Jogou futebol durante 13 anos, mas agora é na vertente do treino que vai continuando o bichinho pela modalidade.

O Francisco é natural de Santo Tirso. Encontra-se a tirar uma licenciatura em Ciências da Comunicação, na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Sempre teve uma paixão enorme pelo deporto, sobretudo pelo futebol. Tem também um gosto especial pelo basquetebol, mais concretamente NBA. Jogou futebol durante 13 anos, mas agora é na vertente do treino que vai continuando o bichinho pela modalidade.

FC PORTO vs CD TONDELA