logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

Miami Heat 118-107 Boston Celtics #1: 41 pontos de Butler selam o primeiro jogo

modalidades cabeçalho

A CRÓNICA: TERCEIRO QUARTO DEMOLIDOR PROVOU-SE DEMASIADO PARA OS CELTICS DESFALCADOS

O primeiro jogo da Final da Conferência Este começava hoje e o primeiro classificado Miami Heat recebia o segundo, Boston Celtics. Os Heat haviam despachado os Philadelphia Sixers e beneficiavam de mais dias de descanso do que os Celtics (venciam os Milwaukee Bucks no domingo).

Ambas as equipas apresentavam baixas importantes, seja os Miami Heat com a ausência de Kyle Lowry, seja os Celtics que não tinham Marcus Smart nem Al Horford. Posto estas dificuldades, estava prestes a iniciar um dos jogos mais antecipados dos Playoffs, tendo em conta a rivalidade entre as duas equipas, nomeadamente o último confronto em 2020, onde os Miami Heat triunfaram e venceram por 4-2.

Os primeiros classificados entraram da pior forma no jogo, concretizando apenas três dos primeiros 10 lançamentos, muito por culpa do trabalho defensivo dos Bostonians que transformaram em defesa e criaram uma liderança (14-6) para começar o jogo.

Após o timeout, a equipa da casa rapidamente recuperou, com grande mérito para a entrada de Tyler Herro, que apontou cinco pontos e Dewayne Dedmon a criar maior presença no interior para Daniel Theis e Grant Williams, visto que Robert Williams se sentou no banco. Os Heat ganharam ímpeto e iriam empatar o jogo 21-21 antes dos visitantes pedirem um timeout. Regressados do timeout, os C’s acabariam por fechar o primeiro quarto a vencer 28-25.

No início do segundo quarto, os Celtics optaram por colocar Aaron Nesmith (contava com um total de sete minutos nos Playoffs) e no primeiro momento acaba numa situação de 1-4 onde sai por cima ao registar um bloqueio e de seguida um ressalto ofensivo que resulta em dois pontls. Depois de momentos defensivos sucessivos, os verdes entram numa run de 11-2 para liderar 41-30.

Os Celtics iam segurar a liderança para entrar no intervalo com maior conforto. Do lado dos Heat, destacava-se Tyler Herro, que vindo do banco apontou 15 pontos a lançar 7-13 e, no outro banco, saltou Payton Pritchard para registar 10 pontos a lançar 4-8.

Esse duelo roubava as atenções e contava a história do jogo, porém, os Celtics lideravam com uma vantagem segura devido a Jayson Tatum que liderava o jogo com 21 pontos e cinco assistências no intervalo, ao trabalho defensivo, à maneira como passavam a bola de maneira altruísta (17 assistências frente às nove de Miami) e o uso da desvantagem do tamanho, que lhes permitiu apontar 42 pontos na paint, comparados aos 24 dos Heat. O segundo quarto também ficou marcado pela lesão no tornozelo de PJ Tucker, visto que após a sua saída, dificultou a tarefa para a equipa que perdia 62-54 ao intervalo.

No terceiro quarto, a história do jogo mudou. PJ Tucker regressou e tanto ele como Bam Adebayo controlaram o ritmo do jogo. Os Miami Heat começaram a encaixar a defesa e consequentemente depararam-se com mais oportunidades ofensivas, entrando nos primeiros seis minutos com uma run de 22-2, para a qual os Celtics não tinham uma resposta.

Os ajustes de Erik Spoelstra resultaram e os Boston Celtics pareciam exaustos e perdidos. Enquanto o conjunto de Miami recuperava a bola, consecutivamente. Jayson Tatum e Jaylen Brown não conseguiam criar nada, perdiam a bola constantemente (oito perdas de bola) e os Celtics ficaram para trás ao sofrer um parcial de 39-14 no terceiro quarto.

A FIGURA

Jimmy Butler – O guard mais ativo continua a querer mostrar que é o melhor do mundo. Hoje voltou a adicionar argumentos para o seu caso. Deu muitas dores de cabeça aos Celtics nos dois setores do campo (41 pontos, quatro roubos de bola e três bloqueios) e efetivamente contribuiu para a vitória da equipa no primeiro jogo da série.

O FORA DE JOGO

Jaylen Brown – Jaylen voltou a ter dificuldades de criar e acertar os lançamentos. Não tem sido muito consistente e aparece uma vez ou outra durante o jogo sem apoiar a equipa nos momentos em que esta precisa dele. No último quarto ainda acertou três triplos, mas apareceu tarde e não fez grande diferença. Tem de fazer melhor se os Celtics quiserem avançar para a Final.

ANÁLISE TÁTICA – MIAMI HEAT

Os Miami Heat apresentaram um conjunto mais pequeno em tamanho, ao incluir ambos Max Strus e Gabe Vincent no cinco inicial. Inicialmente a equipa sofria dificuldades em conter o adversário ou a trocar a bola, contudo após o intervalo, Erik Spoelstra fez os ajustes necessários como evitar o switch por vezes ou atacar os guards mais vulneráveis, nomeadamente Payton Pritchard. Outro elemento fundamental foi dificultar a vida de Jayson Tatum ou Jaylen Brown ao colocar duas pessoas a defender e impedir qualquer entrada na paint ou passe.

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

Vincent (6)

Butler (8)

Strus (5)

PJ Tucker (6)

Adebayo (6)

SUBS UTILIZADOS

Herro (6)

Martin (5)

Oladipo (6)

Dedmon (5)

ANÁLISE TÁTICA – BOSTON CELTICS

O conjunto de Ime Udoka entrou melhor, passava bem a bola, encontrava boas oportunidades no interior, daí Jayson Tatum apontar 21 pontos na primeira metade do jogo sem grande dificuldade. A defesa também esteve em grande na maior parte dessa metade, todavia na segunda metade, a defesa não era a mesma unidade. Ofensivamente a equipa perdeu a bola inúmeras vezes e os Miami conseguiram marcar vários pontos através de oportunidades de fast-break. No geral, o terceiro quarto foi o pior dos verdes, onde perderam a postura e dificultou uma recuperação, tanto dos jogadores como do treinador Ime Udoka.

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

White (5)

Brown (5)

Tatum (7)

Williams (5)

Williams III (6)

SUBS UTILIZADOS

Pritchard (6)

Theis (5)

A. Nesmith (5)

Foto de Capa: NBA

Artigo redigido por Marcos Brea

O Marcos é licenciado em Comunicação e Jornalismo. O objetivo de carreira é tornar-se num jornalista desportivo, mas no fundo é um amante de desporto e acima de tudo alguém que procura partilhar a verdade desportiva, a sua opinião e criar interesse nas pessoas para verem modalidades novas.

O Marcos é licenciado em Comunicação e Jornalismo. O objetivo de carreira é tornar-se num jornalista desportivo, mas no fundo é um amante de desporto e acima de tudo alguém que procura partilhar a verdade desportiva, a sua opinião e criar interesse nas pessoas para verem modalidades novas.

FC PORTO vs CD TONDELA