basket cabeçalho

A 17 de julho do ano passado escrevi aqui para o Bola na Rede que Portugal estava a viver uma das suas melhores gerações de sempre no basquetebol feminino. Em 2015 além da prestação brilhante das sub16, as “nossas” meninas conseguiram mais um resultado histórico em sub20. O ponto baixo foram as sub18, mas mesmo assim tiveram uma prestação muito positiva para o desenvolvimento das jogadoras.

O verão começou com as sub20 que foram até a Lanzarote (Espanha) conquistar o sexto lugar, um resultado histórico, nem que seja por em 2014 esta seleção estar na Divisão B. Esta que foi a segunda participação da história da seleção na divisão principal do escalão.

Indo à prova, Portugal conseguiu quatro vitórias contra cinco derrotas, tendo ganho à Bélgica, Ucrânia, Itália e Polónia. Tendo perdido com a Holanda, Hungria, Espanha, Rússia e Itália. O segundo jogo contra a Itália que contava para a atribuição do quinto e sexto lugar tem uma mistura de sabores. Uma vez que já tínhamos ganho um jogo contra o adversário fica um amargo de boca pela derrota neste jogo; mas por outro lado o feito histórico de um sexto lugar na última categoria de formação não tira o sabor a vitória. Como última nota dizer que a Espanha ganhou a competição e que assistiram a este jogo 1000 pessoas; marquem este número para mais tarde no artigo.

A comitiva que ficou em sexto lugar no Europeu sub20
A comitiva que ficou em sexto lugar no Europeu sub20

As sub18 participaram pela terceira vez (e consecutiva) na Divisão A. A prova que o ano passado foi em Matosinhos este ano realizou-se em Celje na Eslovénia.

Anúncio Publicitário

E aqui foi a prestação mais fraca das basquetebolistas portuguesas deste verão ao descerem de para a Divisão B ao apenas conseguirem ganhar três jogos em nove. As vitórias foram contra a Polónia, Israel e Estónia, esta num último jogo que já para nada contava na luta pela manutenção.
Quanto aos jogos, a derrota por maior diferença foi ainda na primeira fase de grupos, altura em que Portugal perdeu por 12 com a Rússia. De destacar a derrota com a Espanha (ganhou a prova) por 6 pontos, mas que apenas aconteceu no prolongamento. A fase que ia definir que ficava entre nono e 16º foi a mais dura de ser vista. Uma derrota contra a Sérvia por sete pontos obrigava à vitória contra a Hungria. Contra as magiares Portugal esteve quase sempre na frente do marcador, mas os últimos 5 minutos foram desastrosos e as nossas atletas perderam uma vantagem de oito pontos. Esta derrota fechou as aspirações à manutenção e a tal vitória contra a Estónia foi apenas para garantir que não ficávamos em último.

Depois de dois nonos lugares nas edições anteriores o 15º lugar sabe a pouco e para o ano a missão tem de passar por voltar a subir ao topo europeu do escalão.

A equipa portuguesa que se deslocou à Eslovénia
A equipa portuguesa que se deslocou à Eslovénia

As sub 16 ficaram então em segundo como puderam ler aqui . No melhor resultado alcançado por Portugal em qualquer competição oficial. Para o ano a estreia num Mundial em terras espanholas será mais um grande passo para o seu desenvolvimento. Duas jogadoras desta seleção entraram no 5 ideal, Ana Ramos, que foi ainda eleita MVP do torneio, e Beatriz Jordão. Agora é a altura de recordar os tais 1000 espectadores que falei anteriormente, na final estavam 5000 pessoas no pavilhão e nos jogos de Portugal o mínimo foram 2000.

O facto de haver duas jogadoras da seleção sub16 (precisamente as duas do 5 ideal) que foram ao europeu de sub18 e uma atleta dos sub18 que subiu aos sub20. Para estas atletas mais novas subir de escalão é muito positivo para a aprendizagem. Muito positivo para as atletas é também a a mudança de várias para os Estados Unidos onde irão estudar e jogar ao mesmo tempo. Mas se isto é positivo para as atletas para o basquetebol português é um pau de dois bicos, é bom porque as atletas se desenvolvem, mas as equipas portuguesas ficam mais fracas.

Depois de estes bons resultados na formação, manchados apenas pelas sub18 mas que mesmo assim lutaram bem, falta passar também aos bons resultados na seleção sénior. Portugal nunca participou na principal competição europeia de basquetebol feminino, mas por estes resultados isto não deve demorar muito a acontecer.

Imagens tiradas do site da FIBA Europe