A CRÓNICA: O TROFÉU QUE FALTAVA AO CAMPEÃO – SPORTING CP ENTRA A VENCER NA NOVA ÉPOCA

A cidade de Sines foi o palco escolhido para o primeiro encontro oficial do calendário nacional de basquetebol, a Supertaça.

Num encontro entre o campeão nacionalSporting CP – e o finalista vencido da Taça de Portugal Imortal BC, foi precisamente o coletivo algarvio a entrar melhor na partida. Apesar do claro favoritismo do conjunto lisboeta, a equipa do Imortal demonstrou-se desde o primeiro minuto capaz de discutir a partida.

Anúncio Publicitário

A excelente prestação defensiva da equipa do Imortal, nomeadamente, na defesa do jogador com bola e na defesa dos bloqueios diretos, o que condicionou imenso a manobra ofensiva do Sporting CP, que sentiu muitas dificuldades na aproximação ao cesto.

A juntar à excelente entrada no capítulo defensivo, a equipa de Luís Modesto soube sempre dar sequência ao momento também no ataque, a explorar bem situações de saídas bloqueadas para libertar os atiradores da equipa.

Com a equipa do Imortal a tentar fugir no marcador, ia valendo a qualidade individual de jogadores como Travante Williams, que mantinha a equipa leonina na corrida pelo resultado.

Empurrada pelos rasgos individuais, a equipa do Sporting CP crescia coletivamente, e Joshua Patton era o rosto do momento, com a equipa procurar com sucesso a vantagem interior do jogador norte-americano.

Apesar do crescimento coletivo do Sporting CP, a equipa do Imortal conseguiu manter-se serena e competente, o que permitiu ir para o intervalo a liderar o marcador.

No regresso dos balneários, a turma algarvia não conseguiu manter o nível exibicional da primeira parte, e permitiu que o conjunto leonino assumisse a liderança do resultado. O aumento de intensidade dos comandados de Luís Magalhães, e as consequentes más decisões da equipa algarvia, estiveram na origem da mudança na liderança do resultado.

Fonte: FPB

E mesmo com várias tentativas de assalto à frente do marcador, a equipa do Sporting CP já não mais largou o comando do encontro. Muito por fruto da boa entrada na partida de jogadores com menos minutos, como foi o caso de Fofana. Do lado do Imortal, a inspiração de Emanuel Sá e Anthony Smith não chegaram para levar de vencido o campeão nacional.

 

A FIGURA

Joshua Patton – Sendo uma das novas caras do Sporting CP para a nova temporada, o norte-americano demonstrou que não precisa de muita adaptação, e acaba por fazer um jogo quase perfeito. Com 17 pontos e 6 ressaltos, juntando ainda os 3 roubos de bola e uma percentagem de 77% de lançamentos de campo, Patton foi a figura chave na conquista da Supertaça.

 

O FORA DE JOGO

Início de terceiro período do Imortal – Depois de uma primeira parte muito bem conseguida a todos os níveis, onde conseguiu sempre reagir bem às sucessivas aproximações do Sporting no marcador, a equipa de Luís Modesto acaba por entrar muito mal na segunda parte, o que praticamente hipotecou todo o trabalho feito nos primeiro 20 minutos.

 

ANÁLISE TÁTICA – lMORTAL BC

A equipa de Luís Modesto apresentou-se muito bem preparada para este encontro e, principalmente na primeira parte, a equipa demonstrou-se muito competente e diversa na defesa dos bloqueios diretos e da bola. Outro ponto positivo foi forma como a equipa recuperou defensivamente, impedindo que o Sporting explorasse o contra-ataque, algo que a equipa leonina tão bem faz.

No ataque foi sempre uma equipa organizada e ciente das suas armas, explorando bem as saídas bloqueadas para libertar os seus atiradores.

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

 Fábio Lima (6)

 Dontae Bruner (6)

 Anthony Smith (7)

  Sérgio Silva (6)

 Tymetrius Toney (6)

 

SUBS UTILIZADOS

Marqueze Coleman (6)

Emanuel Sá (8)

 Keven Gomes (6)

Andrew Robinson (6)

João Neves (6)

 

ANÁLISE TÁTICA – SPORTING CP

A equipa de Luís Magalhães pouco fugiu ao que nos já tem habituado, tanto no momento defensivo como ofensivo.

Defensivamente, a equipa teve dificuldades em ser consistente, muito devido às quebras de intensidade da equipa, algo que é normal nesta altura da época.

Ofensivamente, a equipa ainda está longe do melhor Sporting da época passada, mas experiência e qualidade individual ajudaram ao sucesso. Nota para o excelente trabalho na procura das vantagens interiores, que foram fulcrais em certos momentos do encontro.

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

   Travante Williams (8)

Diogo Ventura (6)

Joshua Martin (6)

 Joshua Patton (9)

 Micah Downs (7)

 

SUBS UTILIZADOS

 Miguel Cardoso (6)

 Seydougou Santi (7)

 António Monteiro

João Fernandes (6)

 Daniel Relvão (6)

 

Foto de capa: Sporting CP Modalidades

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome