Cabeçalho modalidades

Kevin Durant deu na terça-feira uma entrevista ao Any Given Wednesday onde falou da sua nova equipa, do impacto que a sua transferência teve em toda liga, da sua relação com o antigo companheiro Russel Westbrook e das fortes reações dos adeptos:

“When [people] called me weak, I think I’m the total opposite. There are plenty of times I could have quit in this whole lifestyle I’m in. There’s plenty of times when I lost I could have just said that’s it for me, let me move on… how I’m I weak if I’m at the top, elite level of my profession? I just chose to play for a different team. Nobody cares about what I want as a person. It’s all about what I can do on the basketball court. They don’t care if I like going fishing on Tuesdays or like taking pictures on the street. Nobody cares as long as I can shoot that ball into the hoop. Why should I care what they think if they don’t really care about me as a whole?”

Anúncio Publicitário

Meu caro Kevin, é verdade: achamos-te fraco. Para bem da verdade, o que te achamos é mariquinhas. Não pode ser de outra forma, e era melhor que te fosses habituando a essa ideia. Este tipo de declarações não te devolverá o carinho de nenhum adepto, e só inflamará ainda mais as vozes que te atacam.

Já ninguém se lembra do MVP a chorar e a agradecer à mamã. Deixaste de ser o menino bonito e bem comportado que não gosta de dar vistas e de quem toda a gente gostava. Agora está meio mundo à espera que falhes, e a tua miséria será a fortuna de muitos. A equipa que jogar contra ti será das mais apoiadas de sempre. Tens um alvo nas costas, e todos te vão querer mandar a baixo.

A mudança de equipa ainda vai fazer correr muita tinta Fonte: berkcommunications
A mudança de equipa ainda vai fazer correr muita tinta
Fonte: berkcommunications

 

E não te enganes: sim, és um atleta de elite, dos melhores no teu desporto e, para a maioria das pessoas, é apenas isso que interessa. Não querem saber dos teus hábitos pessoais, do que fazes no teu tempo livre ou do que quer que seja da tua vida pessoal. E não é por isso que deixas de ser fraco. Consideram-te agora fraco porque, sendo que és um dos melhores, desististe de assumir esse papel.

E vai-te preparando para as comparações e análises onde estarás sempre em desvantagem. Vão comparar o teu desempenho ao do Curry – dentro da tua própria equipa – para justificarem que não consegues ser a estrela da companhia. Vão comparar os números dos GSW para dizerem que não acrescentas melhorias significativas a uma equipa que no ano passado fez história. Vão-te comparar ao Westbrook dizendo que ele é o verdadeiro líder de OKC, e que sem ti se manteve fiel a um objetivo. Vão ser duros e implacáveis contigo, e isso vai durar pelo menos a época inteira. E só tens uma forma de sair por cima disto tudo: aguentando em silêncio até ao fim.

O que fazer? Fácil: vestir a máscara de vilão e assumir o papel do menino mau da liga. É o único caminho. Não podes deambular entre a ingenuidade de quem não percebe os adeptos, que agora te irão vaiar, e o maior “bitch move” que a NBA já viu. Já deverias saber que era este o caminho. Tens de ser mau, tens de ser rijo e desafiador. Ganhar sem sorrisos, dominar sem misericórdia. No fim, se fores bem sucedido, muitos te continuarão a achar mariquinhas; mas o precioso anel ninguém te tira.