O dia 11 de Março de 2020 ficará na história como o dia em que o Comissário da NBA, Adam Silver, anunciou que a liga iria ser suspensa devido à pandemia do COVID-19 que começava a assolar os Estados Unidos da América.

Logo depois do comunicado, a liga parou. Três meses se passaram desde esse momento, e durante esse período assistimos a muita incerteza, tanto no mundo desportivo, como no nosso quotidiano.

As redes sociais foram-se inundando de opiniões e informações contrárias: primeiro, a NBA não ia regressar, depois ia-se avançar diretamente para os playoffs, e, por fim, falava-se em jogar o resto da época como se nada se tivesse passado. Desde playoffs mais curtos a eliminar a primeira ronda das eliminatórias, tudo era válido, mas ninguém tinha certeza de nada.

Demorou, mas ao fim de mais de 90 dias, finalmente se obteve uma resposta concreta de fonte segura: a NBA ia regressar. Contudo, este regresso vai ser como algo nunca antes visto.

Anúncio Publicitário

Indo por partes, de forma a conter a possível propagação do vírus e para proteger os atletas, o resto da época será realizado no complexo da Disney em Orlando, Flórida. Ao condicionar o movimento de todos os jogadores e staff técnico das equipas, a liga vai procurar limitar ao máximo os focos de contágio.

De seguida, os 17 atletas, os treinadores e o staff técnico serão testados e irão estar de quarentena durante 36 horas, de forma a tentar despistar possíveis contágios.

Imaginando que todos os jogadores e equipa técnica estão saudáveis, entramos depois na parte relacionada com o novo formato que vai ser adotado para este regresso à competição.