cab nba

Estamos na época natalícia e, por conseguinte, este texto vai ter um formato diferente. A temporada desportiva de uma das ligas mais mediáticas do mundo vai avançando e todos os dias mais potente.

As equipas já têm todas as suas rotinas e em princípio sabem o que as espera quando a fase regular terminar. Na conferência Este não haverá muitas surpresas e na conferência oposta os plantéis principais estarão, claramente, no topo. Será competitiva, certamente, mas duvido que deixe muitas pessoas sem dormir, a tentar adivinhar quem irá aos playoffs.

Mesmo assim, devido a esta época especial onde o “Sozinho em Casa” e o “O Amor Acontece” estão em alta, presumo que os dirigentes das instituições podiam fazer um pedido àquela figura mítica, que ano após ano insiste em roubar bolachas e leite. Esta ideia vai ficar divida em dois textos distintos.

Começarei por analisar as principais falhas das equipas e definir as preocupações primárias dos executivos das instituições da conferência Este.

Anúncio Publicitário

Atlanta Hawks: Manter o Kyle Korver nesta sequência de triplos consecutivos que ajuda a tornar cada jogo mais interessante. Deixar o Louis Williams ficar em forma e entreter os fãs da equipa com a capacidade ofensiva deste e de Al Horford. O principal é conservar o plantel saudável para ir aos playoffs.

Boston Celtics: Basicamente as cartas dos dirigentes da equipa de Boston começam todas desta forma: “Querido Pai Natal, cura os joelhos do Rondo”. Isto porque Rajon Rondo é a maior estrela da equipa e o seu regresso é muito desejado. A equipa precisa também de estabilidade no balneário.

Brooklyn Nets: O plantel precisa de ser isso mesmo, um plantel. Não pode estar completamente dependente de Brook Lopez, de Deron Williams e de uma noite mais inspirada de Joe Johnson. Os mais veteranos também estão em falta para com a equipa. Precisam de usar a experiência e marcar mais pontos.

Charlotte Bobcats: A formação dos Bobcats ainda está em reconstrução. O objectivo primário do grupo é melhorar a qualidade de jogo, tentar ter um registo melhor do que aquele que teve no ano passado e tentar arriscar em jogadores no draft do ano que vem. Diz-se que para o ano há uma lista de jogadores interessantíssimos.

Chicago Bulls: Mais é impossível escrever sobre os problemas da ex-equipa de Michael Jordan. O plantel está muito desequilibrado e a carência de pontos é a prova disso. Um jogador que garanta mais pontos será a solução. Porém, para isso será necessário trocar jogadores.

Cleveland Cavaliers: A produção da equipa está muito Kyrie-dependente. O jogador imortalizado pelo seu anúncio da Pepsi não tem andado a jogar a um nível extraordinário. Todos os jogadores têm o dever de ter mais produção ofensiva. O rookie Anthony Bennet precisa de perceber e de se adaptar à forma de jogar do nível profissional.

Detroit Pistons: Como uma das equipas que tem surpreendido por conseguir vencer os Pacers e os Miami Heat, os Pistons estão no caminho certo. Carecem apenas de vitórias caseiras.

Indiana Pacers: Os dirigentes dos Pacers não fizeram pedidos muitos díspares. O objectivo principal do grupo é reforçar a linha secundária, manter as estrelas saudáveis e felizes. A qualidade em campo cresce de jogo para o jogo e estamos perante um concorrente muito forte na conferência Este.

Na conferência Este, o encontro entre estas estrelas é sempre aguardado. http://www.nba.com
Na conferência Este, o encontro entre estas estrelas é sempre aguardado.
Fonte: NBA.com

Miami Heat: O plantel da equipa da Florida transpira química e coesão. A incógnita Greg Oden continua sem marcar a presença e demonstrar por que é que foi aposta da equipa bicampeã. Apesar de ter perdido um “atirador furtivo” em Mike Miller, os Miami Heat continuam a jogar bem. Os executivos da instituição pedem um jogo mais fluido e mais fiel às actuações do ano passado, que encantaram milhões. A saúde do grupo conhecido por “Big Three” é algo muito requisitado nas cartas para o senhor gordo de barba branca que trará os presentes na quarta-feira.

Milwaukee Bucks: Provavelmente das equipas mais atacadas pelo vírus das lesões, os Bucks rezam e imploram o regresso de Larry Sanders e de Ersan İlyasova para saírem do buraco em que estão inseridos. O crescimento do rookie grego Giannis Antetokounmpo pode vir a ajudar numa segunda metade de época interessante por parte da formação de Milwaukee.

New York Knicks: A equipa de Nova Iorque anseia por um grupo coeso e que jogue basquetebol ao nível que nos habituou na época passada. A nível individual é um plantel perigoso; como grupo é facilmente ignorado e desprezado.

Orlando Magic: Os Magic, mais precisamente, os seus dirigentes pedem que o estreante Victor Oladipo se mantenha a jogar da maneira excepcional que tem demonstrado desde a sua chegada. Por alguma razão é um dos favoritos para ganhar o prémio de melhor rookie.

Philadelphia 76ers: Aqui, o pedido é: saúde. Não só a nível mundial, mas a nível do plantel. Michael Carter-Williams – outro rookie impressionante que também está na corrida pelo prémio de melhor debutante – esteve lesionado durante uns dias e, sem ele, a equipa de Philadelphia poucos jogos ganhou. O rookie está a ser uma peça fundamental deste grupo que no início do ano tanto impressionou. Spencer Hawes também precisa de se manter numa forma física para lá de formidável se a equipa quer chegar aos playoffs ou pelo menos ser mais respeitada pelas outras da liga.

Os melhores rookies, até agora, são peças fundamentais nas suas equipas. http://sports.yahoo.com
Os melhores rookies, até agora, são peças fundamentais nas suas equipas.
Fonte: sports.yahoo.com

Toronto Raptors: Fala-se que a troca de Rudy Gay para os Kings foi feita para que a equipa canadiana pudesse apostar no draft para o ano que vem em jogadores canadianos. A permuta de valores nem sempre tem resultados positivos, mas mesmo assim a formação tem jogado bem e Kyle Lowry tem-se apresentado a jogar muito bem.

Washington Wizards: Pela equipa da capital americana, o pedido foi muito ao encontro de deixar o plantel sem problemas de saúde e que John Wall, principalmente, consiga manter-se no momento de forma que tem vindo a apaixonar meio mundo. O talentoso base tem tudo para proliferar esta época.

Artigo anteriorO nosso futebol e os seus complexos
Próximo artigoOs toffees de Roberto Martínez
O André já fez natação, futebol, futsal, basquetebol, judo, karate, jiu-jitsu brasileiro, ténis de mesa. No entanto, não sabe fazer nada sem ser ver os jogos da NBA e do seu Benfica!                                                                                                                                                 O André não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.