A equipa feminina francesa da Futuroscope está na estrada desde 2006 e desde 2017 conta entre os seus patrocinadores principais também a FDJ – cuja equipa masculina tem ajudado a retomar os gauleses ao topo do ciclismo -, mas nunca foi um dos conjuntos mais fortes do pelotão internacional. No entanto, uma transformação está em curso e é possível que já em 2020 – contando que o calendário previsto pela UCI vai mesmo adiante – a vejamos a dar luta às melhores nas estradas europeias.

Há uns anos, a equipa começou um processo de internacionalização e contratou até algumas atletas interessantes, ainda que longe de serem estrelas, como Tenniglo ou Slik, mas todas acabaram por deixar a equipa tão rapidamente como chegaram e até algumas referências da equipa, como Aude Biannic, também abraçaram outros projetos.

Contudo, uma constante do conjunto francês sempre foi a aposta na juventude, o que permitiu manter sempre um fluxo de entrada de atletas competentes. A formação de jovens talentos parece estar agora prestes a dar frutos, já que começa a figurar como um dos destaques da equipa a gaulesa Evita Muzic, que ainda conta apenas com 20 anos, mas já está na sua terceira época com a equipa e é inegavelmente uma das melhores e mais consistentes Sub-23 do mundo.

Evita Muzic é uma das mais promissores jovens do ciclismo
Fonte: FDJ Nouvelle Aquitaine Futuroscope

Em 2019, foram também adicionadas algumas ciclistas experientes, com destaque para duas de qualidade já elevada e que continuaram para 2020, Fahlin e Borgli. E este seria o prelúdio de uma ida ao mercado assertiva para esta nova temporada que coloca a FDJ Nouvelle Aquitaine Futuroscope num patamar que nunca antes esteve.

Anúncio Publicitário

Então, para esta época, a equipa só contratou duas ciclistas, mas foram excelentes escolhas. Brodie Chapman, depois de uma passagem pelo BTT, brilhou nos últimos dois anos no calendário americano e é uma ciclista interessante capaz de alguns resultados em provas menores e de ser um bom apoio para uma forte líder.

E essa liderança foi encontrada com a contratação de Cecilie Uttrup Ludwig. Pódio na Ronde e na La Course em 2019, e sexta no Giro em 2018, a jovem dinamarquesa está a explodir para uma grande carreira e não tarda estará a ganhar algumas das mais importantes provas das duas rodas. Em França, terá estatuto absoluto no topo da hierarquia interna e um conjunto em crescimento a apoiá-la. Juntas, ciclista e equipa fazem um par temível em crescendo.

Assim, os gauleses têm agora uma renovada ambição e podem, pela primeira vez na sua já longa história, competir com as melhores nas mais importantes provas ciclísticas.

Foto de Capa: FDJ Nouvelle Aquitaine Futuroscope

 

Artigo revisto por Joana Mendes

Comentários