Anterior1 de 2Próximo

Nesta segunda semana, foram apresentadas as primeiras grandes dificuldades aos ciclistas, que causaram grandes mossas no pelotão. Após uma primeira semana com poucas adversidades, a montanha finalmente chegou para ficar até ao final do Giro.

A etapa dez e onze, foram dedicadas para os sprinters. Ambas tinham um traçado para os homens mais rápidos. Na primeira, foi Arnaud Démare que bateu toda a concorrência, obtendo a sua primeira vitória de sempre no Giro. Com esta vitória, conseguiu aproximar-se muito de Pascal Ackermann, pela camisola dos pontos. O alemão que tinha caído momentos antes da vitória do francês e acabou por não participar no sprint final. Matteo Moschetti, sprinter da Trek-Segafredo, acabou por cair também, sendo levado para o hospital e acabou por abandonar a prova neste dia.

Na etapa onze, foi a vez do australiano, Caleb Ewan, levantar os braços sobre a linha de meta. Um sprint vigoroso, deu-lhe a segunda vitória nesta edição do Giro, depois de ter ganho a etapa oito. Nesta etapa, Démare ficou em segundo e Ackermann em terceiro, com a diferença a ser mínima entre os dois na luta pela camisola dos pontos, o francês ultrapassou o alemão.

Na etapa doze, foi a vez da fuga vingar com a vitória de Cesare Benedetti. O italiano deu a terceira vitória à Bora Hansgrohe, sendo esta a equipa mais vitoriosa de momento, nesta edição do Giro. Nesta etapa, marcou-se o regresso das montanhas e sendo assim dois dos melhores sprinters desistiram antes da etapa começar, casos de: Elia Viviani e Caleb Ewan. Nesta etapa, Valerio Conti perdeu a camisola rosa para o seu companheiro de equipa Jan Polanc. O esloveno tinha andado na fuga do dia e no final da etapa acabou por manter a camisola rosa dentro da sua equipa, a UAE Emirates. Pela primeira vez, Polanc a ser líder numa grande Volta.

A Etapa 13 foi um dia com muita montanha. A fuga obteve sucesso novamente, através de Ilnur Zakarin. O homem da Katusha-Alpecin foi o mais forte, seguido apenas por Mikel Nieve, que só descolou do russo na parte final da etapa. Na geral individual, Ilnur Zakarin subiu nove posições, acabando no terceiro lugar no final do dia. Polanc manteve a sua liderança, no entanto perdeu algum tempo para os rivais mais próximos. Nesta etapa Simon Yates perdeu muito tempo em relação aos seus adversários e Miguel Ángel López teve um problema mecânico, o que obrigou a uma paragem e à consequente perda de tempo. Dois dos principais candidatos à vitória no Giro, ficaram praticamente arredados da conquista final.

Zakarin consegue a terceira vitória do ano para a Katusha-Alpecin
Fonte: Giro d’Italia

Na etapa 14 houve muitas mudanças na geral. Etapa bastante emocionante em que Carapaz não só vence a etapa, como conquista o primeiro lugar na geral individual. O homem da Movistar teve liberdade total para sair do grupo dos favoritos e nunca mais o alcançaram. Roglic e Nibali estiveram numa marcação cerrada e a Movistar soube jogar com as cartas que tinha. Simon Yates ganhou alguns segundos também com um ataque a solo, ficando no segundo lugar no final da tirada.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários