Tenho como princípio tentar não repetir duas vezes o mesmo erro, mas nem sempre é fácil. Especialmente quando toca ao coração. Antes do início do Tour, escrevi um artigo sob uma excitação enorme. Tínhamos uma prova virada para as montanhas, tínhamos uma diminuição da importância dos contra-relógios, tínhamos Nibali, Contador e Froome, tínhamos tudo para ser uma das melhores Voltas a França da história. Infelizmente, imensos azares depois, ficámos com pouco daquilo que imaginávamos e com uma enorme dor na alma. Por esse motivo, agora que a Vuelta está a chegar, gostava de não cair na mesma armadilha das altas expectativas, mas não é nada fácil! Como não hei-de ficar ansioso se olhamos para a lista de atletas da maior prova do ciclismo espanhol e encontramos tanto talento. Contador, Froome, Quintana, Valverde, Fabio Aru, Joaquim Rodriguéz, Cadel Evans, Gesink, Kelderman, Talansky, Pozzovivo, Pinot e tantos outros! Podemos facilmente imaginar duelos emocionantes na alta montanha e temos muita dificuldade em fazer um prognóstico para a classificação final. Existem pelo menos dez ciclistas com reais ambições de terminar no top5 e mais alguns para o top10, tudo pode acontecer.

Contador e Froome podem ser, mais uma vez, as personagens principais desta história  Fonte: Independent
Contador e Froome podem ser, mais uma vez, as personagens principais desta história
Fonte: Independent

Mesmo tendo plena consiciência de que vou fazer o que disse que não queria, tenho de fazer um destaque ao duelo Contador vs Froome. É verdade que pode novamente decepcionar todos os corações dos amantes de ciclismo, até porque o corredor espanhol esteve em dúvida durante muito tempo e não deve chegar nas melhores condições físicas, mas, que raio, eles devem-nos um duelo emocinante há já algum tempo! Temos de acreditar que é desta! O pistoleiro corre em casa e isso pode ser a força extra que talvez não tenha nas pernas. Esperemos que ambos consigam dar o seu melhor, até porque há dois senhores da Movistar que têm objectivos muito bem definidos e por isso não convém que se descuidem muito no ataque à camisola roja. Um senhor chamado Quintana, que depois de vencer o Giro e faltar ao Tour quererá somar outra grande volta ao seu palmarés e também um senhor chamado Valverde, que foi uma das maiores desilusões do Tour e deve querer limpar a sua imagem perante os seus conterrâneos.

Acabando como comecei, não quero cair no mesmo erro das altas expectativas, mas é muito complicado quando se apresentam reunidas tantas condições para o espetáculo acontecer. Temos de fazer muita força para a racionalidade vencer este duelo particular com a emoção. Uma coisa é certa, de uma maneira ou de outra, neste sábado está de volta a Vuelta.

Comentários