Na estrada, Nils Eekhoff foi uma das estrelas dos Mundiais de Yorkshire 2019. Depois de cair e deslocar o ombro, o holandês recuperou, esteve entre o grupo que perseguiu o trio que parecia ir discutir a vitória e sprintou mais rápido que todos para vencer. Na secretaria, em mais uma decisão inexplicável da UCI, foi desqualificado por recuperar para o pelotão atrás de um carro a mais de 120 quilómetros da meta.

Independentemente de a UCI lhe ter tirado o merecido lugar no livro de resultados, a exibição ninguém pode apagar e merece que olhemos para este jovem de 21 anos e para o que poderá fazer no futuro.

Desde 2017 na equipa de desenvolvimento da Team Sunweb, Nils Eekhoff foi este ano estagiário da formação World Tour, que passará a representar nas próximas duas temporadas. Para essa subida de patamar muito terá contribuído a regularidade de resultados que apresenta.

Não sendo um vencedor prolífico, é comum vê-lo na frente em provas de um dia e também já mostrou ter boas qualidades para ajudar a lançar os seus sprinters, trabalho que deverá ser uma das suas tarefas numa Sunweb com Matthews e Bol e ainda Dainese e Kanter.

A alegria antes da desilusão em Yorkshire
Fonte: SEG Racing Academy

O principal resultado que chama à atenção é a vitória no Paris-Roubaix Espoirs 2017, mas conta também triunfos nos prólogos da Istarsko Proljece 2018 e da Course de la Paix 2019 e numa etapa do Tour de Bretagne 2019 (em que foi terceiro da Geral, bem como uma quantidade assinalável de outros resultados entre os 10 primeiros.

Como já falamos, apesar de não ser um velocista, tem uma boa ponta final, passa bem as colinas e também não se dá mal nem com paralelo nem com as condições meteorológicas adversas, pelo que é claramente um homem talhado para as clássicas.

Bom rolador e contrarrelogista, isso dá-lhe outras possibilidades de obter resultados, mas também ainda mais versatilidade para cumprir um papel de gregário de luxo na proteção a um líder.

Olhando para o seu percurso, é difícil afirmar se conseguirá passar de ser um daqueles colegas que todas as estrelas querem para um ciclista que vence por si mesmo, mas a forma como se portou nos Mundiais deixa antever que há essa possibilidade.

De qualquer modo, é inegável que se trata de um jovem com muita qualidade e que poderá desde já ser muito útil à Sunweb. E, alicerçando a sua carreira numa equipa tão especializada em fazer evoluir os ciclistas até ao seu melhor dando-lhes o tempo necessário para crescerem, está no local ideal para testar os seus limites e compreender o quão longe poderá chegar no ciclismo profissional.

Foto de Capa: Team Sunweb

Revisto por: Jorge Neves

Comentários