Anterior1 de 3Próximo

Cabeçalho modalidades

Os primeiros dias do Tour de France, não são por si só decisivos, longe disso, é o início ou o fim das aspirações dos candidatos à vitória na geral. Derivado às etapas, que na sua maioria são planas e propícias a chegadas ao sprint, não deixa de ser curioso que alguns líderes fiquem arredados da classificação geral ainda muito cedo, ou que cheguem mesmo a abandonar. O motivo é que por norma rola-se muito forte nos finais de etapa e todos querem ter a melhor posição possível para não ficarem para trás em caso de acontecer algo ao pelotão. Temos o caso recente do Tour passado, onde Contador teve algumas quedas na fase inicial do Tour e isso veio a deitar por terra as suas aspirações à vitória final, existem outros casos em outros tours que comprova isso mesmo,este ano,por exemplo Froome e Bardet já foram ao asfalto, não tendo ficado felizmente com grandes mazelas.

Começou atribulada a 104ª edição do Tour de France, com vários abandonos de ciclistas importantes e a expulsão de Sagan.

Valverde e Ion Izaguirre, caíram logo no contra relógio inicial e desistiram, depois foi Cavendish que na disputa ao sprint com Sagan cai e é forçado o seu abandono. Gesink, G. Thomas(que já foi camisola amarela) e Richie Porte (principal rival de Froome neste Tour), são os nomes mais sonantes que se juntaram a lista de desistentes, todos eles em quedas na etapa de ontem. A expulsão de Peter Sagan, após este ter provocado a queda e posterior abandono de Cavendish foi também o tema quente desta primeira semana!

Valverde 4º no ranking World Tour, vinha de uma época espectacular, a sua melhor época na minha opinião, e iria ser um dos grandes animadores deste Tour. Com esta queda é bastante provável que não corra mais esta época.Nairo Quintana ficou assim sem o seu grande aliado na luta pela geral individual.

Ion Izaguirre era o líder da Bahrain – Merida e  tinha aqui uma enorme oportunidade de se mostrar como líder.

Geraint Thomas o nº2 da Sky, e braço direito de Froome também tinha grandes expectativas neste Tour, apontando mesmo a um lugar no pódio.

E por fim Richie Porte, a meu ver a maior ameaça a Froome, e a sua sombra neste tour, Porte vinha em grande forma na subida ao Mont du Chat, fazendo parte do restrito grupo dos favoritos, foi na descida seguinte que colocou tudo em causa com uma má abordagem numa curva que pode ter tido graves consequências para si próprio.

Esperemos as rápidas melhoras a todos eles.

Momento que origina a desqualificação de Sagan Fonte: Le Tour de France
Momento que origina a desqualificação de Sagan
Fonte: Le Tour de France

A expulsão de Peter Sagan foi como se um terramoto tivesse passado por este Tour, tal foi o eco que produziu quer nos seus fãs, quer naqueles que defendem a sua expulsão. A verdade é que a decisão dos comissários, na minha óptica, foi excessiva. A primeira decisão dos comissários era a mais acertada, a retirada de pontos a Sagan era a punição aceitável, dado que Cavendish já ia em queda quando acontece o contacto entre ambos. Pode-se alegar que Sagan bloqueia a passagem de Cavendish, como também alegar-mos que Cavendish tentou passar pelo buraco da agulha. Nunca seria uma decisão consensual.

Com isto, a luta pela camisola verde ficou com menos 3 candidatos, se tivermos em conta que Demare vencedor da etapa 4, era também candidato a envergar a camisola verde.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários