Anúncio Publicitário

Cabec¦ºalho ciclismoEspetacular! Não há outro adjetivo que melhor descreva esta vitória, na 6ª etapa, do português em solo francês. A garra, o querer, a força, a tática, a frieza e, principalmente, a excelente “visão de jogo” (já caraterística do Rui) levaram a esta enorme vitória de Rui Costa frente a dois dos melhores ciclistas do pelotão internacional, Nibali e Valverde. Fez lembrar a vitória no campeonato do mundo de 2013!

No Critérium du Dauphiné, depois de a etapa de ontem ter, aparentemente, revelado falta de forças de Nibali, Valverde e do próprio Rui Costa, a etapa de hoje voltou a mostrar o porquê de esta prova ser uma das mais imprevisíveis do World Tour. Cinco homens estiveram na principal fuga do dia: Vincenzo Nibali, Alejandro Valverde, Tony Gallopin, Tony Martin e o ex-campeão do mundo Rui Costa. A maioria destes elementos, na etapa anterior, perdeu tempo suficiente para conseguir entrar na fuga, sendo que o pelotão acabou por ser desleixar e não conseguiu apanhar estes homens até ao fim. Quer a Sky (do favorito Froome), quer a BMC (do ex-líder da corrida Van Garderen) não souberam controlar o ritmo do pelotão e deixaram escapar alguns “gigantes adormecidos” da etapa de ontem, que, hoje, acordaram bem capazes de dar uma reviravolta completa nos acontecimentos deste Dauphiné.

: Os 5 homens da fuga que vingou (com o Rui Costa a ser o penúltimo ciclista da imagem) Fonte: Cycling News
Os 5 homens da fuga que vingou (com o Rui Costa a ser o penúltimo ciclista da imagem)
Fonte: Cycling News

Com a certeza de que a fuga iria vingar, as atenções estavam todas postas naqueles quatro homens (Tony Martin, entretanto, acabou por não aguentar o ritmo daquele grupo). A cerca de três quilómetros do fim, Gallopin ataca e ninguém responde, mas, um quilómetro depois, o campeão em título do Tour, Nibali, deixa para trás o Rui e o Valverde, apanhando o Gallopin e ultrapassando-o com relativa facilidade. Mas, quando já se esperava a vitória do italiano, surge de repente o português e, a 300 metros do fim, já se previa que a vitória fosse para ele (conseguiu ainda ganhar cinco segundos ao novo líder da geral individual), não só pela melhor ponta final em relação ao seu adversário, mas também pelo facto de ele ter feito uma subida mais constante e mais “calculada” do que o próprio Nibali. A sua frieza, a sua visão dos acontecimentos e a sua enorme garra foram cruciais nesta excelente vitória – a primeira do ano.

Anúncio Publicitário

Foi mais um dia imprevisível no mundo do ciclismo e foi mais um dia de enorme espetáculo proporcionado por alguns dos maiores protagonistas, atualmente, deste desporto. Na geral, Nibali é , Rui Costa é (a 29 segundos do italiano) e Valverde é . Simon Yates (uma das jovens sensações dos últimos tempos, juntamente com o seu irmão gémeo, Adam Yates), Van Garderen (o anterior líder desta prova), Intxausti, Froome (veremos se terá capacidade para ainda chegar à vitória), Gallopin, Bardet (vencedor da etapa de ontem, chegou a cair na etapa de hoje), Daniel Martin e Andrew Talansky (o vencedor em título desta prova) ocupam ocupam os restantes lugares do top10. Por fim, se tivermos o Rui Costa a um nível assim quando chegar o Tour de France, teremos razões para acreditar numa muito boa prova por parte do português!

Anúncio Publicitário