Anterior1 de 3Próximo

entrevistas bola na rede

Nuno Bico foi contratado pela equipa nº1 do ranking mundial. Começou 2017 com um contrato na equipa espanhola Movistar, onde vai correr ao lado do colombiano Nairo Quintana e do espanhol Alejandro Valverde. Viseense e com apenas 22 anos sempre mostrou a sua dedicação e certezas em relação ao seu futuro no mundo do ciclismo. Começou desde cedo, passou pela Radio Popular Boavista e a época passada esteve numa equipa da República Checa, a Klein Constantia.

Bola na Rede: Ano novo, vida nova… havia melhor forma de começar o ano?

Nuno Bico: A vida não vai ser nova, a equipa é que é diferente.

BnR: Mas vais ter rotinas diferentes…

NB: O trabalho dos outros anos mantém-se, e a dedicação é igual, apenas corridas de um nível maior e mais responsabilidades. A atitude vai ser sempre a mesma embora com um pouco mais de dedicação e motivação agora mas não vai mudar assim tanto.

BnR: Como é que se deu este processo de negociação? Tinhas outras equipas interessadas?

NB: Sim, tinha. O ciclismo está dividido por três escalões e a Movistar é o primeiro escalão. Eu sabia do interesse deles, tinha propostas dos outros escalões também, mas felizmente a Movistar não perdeu interesse e assinámos contrato.

BnR: É uma equipa para onde sempre quiseste ir…

NB: Sim, acho que qualquer ciclista quer ir para lá. O problema é eles quererem outro ciclista.

BnR: E o que é que eles viram em ti?

NB: Acho que foi uma época boa para mim, muito trabalho de equipa ao longo do ano. Acima de tudo dedicação. Eles já conheciam bem as pessoas com quem eu trabalho. Há certas coisas que não transparecem para o público, mas quando as outras equipas já conhecem o teu treinador, os teus diretores desportivos, ficam a conhecer a tua atitude em corrida e fora dela, e isso conta muito.

BnR: 24h depois da confirmação pública foste a Madrid direto de Viseu. Uma viagem que estavas ansioso de fazer …

NB: Sim, tive de ir a Madrid por causa das fotografias para o site deles, para poder estar atualizado no dia 1 de Janeiro e para receber as bicicletas e o equipamento do novo ano.

BnR: E que tal as bicicletas?

NB: São umas máquinas…

BnR: Sentias que uma oportunidade destas, uma oportunidade para o WorldTour ia aparecer aos 22 anos?

NB: Acho que sim. Depois deste primeiro ano fora de Portugal não tinha dúvida que queria continuar e além disso dei provas suficientes de que o merecia. Para além disso a idade é só um número.

BnR: Movistar, uma das melhores equipas do mundo. Achas que vais sentir essa pressão ou o nome da tua equipa não te influencia enquanto corres?

NB: É a equipa n.º 1 do ranking, claro que vou sentir essa pressão. Já não estamos a falar de um escalão de juniores, em que o importante é o crescimento e o desenvolvimento. Aqui é um escalão de elites onde estão em jogo milhões de euros e pesa a responsabilidade. A equipa quer ganhar e o bom trabalha ditará o resultado final.

Nuno Bico vive um sonho na Movistar Fonte: Movistar Team
Nuno Bico vive um sonho na Movistar
Fonte: Movistar Team

BnR: Esperas muitas mudanças em termos de rotina e trabalho?

NB: O ano passado já era profissional e a rotina será a mesma, mas como o nível das corridas vai subir já vou tendo treinos tanto mais longos como mais intensos e é aí que está a maior diferença em relação ao ano passado.

BnR: Estás ansioso por alguma prova em específico?

NB: As provas também têm escalões e o escalão WT (WorldTour) dentro das corridas é o mais elevado e gostava de poder fazer alguma ou algumas, no meu primeiro ano. A equipa participa em WT, HC (Hors Catégorie) e depois .1, que é a categoria a seguir. E claro que há várias WT ao longo da temporada, mas são trinta ciclistas e muitos deles serão muito experientes. São essas corridas que dão pontos, visibilidade…

Anterior1 de 3Próximo

Comentários