A Suécia recebeu as suas duas tradicionais provas do World Tour feminino, duas corridas de um dia, primeiro um contrarrelógio por equipas e depois uma prova de fundo.

Nos 35,6 planos quilómetros do esforço coletivo contra o relógio, saiu por cima a Trek – Segafredo. Apesar da presença de van Dijk, o conjunto americano não era o principal favorito, mas a verdade é que dominou a concorrência, que não era em grande número, já que apenas participaram 14 equipas.

A campeã do mundo da especialidade, a Canyon SRAM, foi segunda a 25 segundos, bem à frente da Team Sunweb e da Boels – Dolmans que desiludiram bastante ficando, respetivamente, a 0:46 e a 1:17 da Trek.

A Trek venceu o contrarrelógio com autoridade
Fonte: Trek – Segafredo

 

Já a prova de fundo, com um percurso de 145,3 quilómetros, era também essencialmente plana, mas marcada por várias passagens em setores de gravilha.

O pelotão já era curto e ainda ficou mais com a dureza do dia. Uma fuga madrugadora com várias atletas perigosas, como a campeã do mundo van der Breggen, a campeã da Europa Pieters, Brand, Rivera, Vollering ou Bastianelli. Com muito trabalho tanto à frente como atrás, a vantagem nunca foi demasiado elevada e haveria reagrupamento a ainda mais de 60 quilómetros da meta.

Novos ataques surgiram, mas também não surtiram efeito, com Sunweb e CCC a assumirem o controlo do pelotão e impedir que as corredoras de segunda linha que tentaram sair ganhassem muita vantagem.

Tudo isto acabaria por levar a prova a um sprint num grupo já reduzido e a vencedora do ano passado, Marianne Vos, entrou na última curva na frente e acelerou para tentar repetir o feito (e chegar à sua quarta vitória na prova). Na reta da meta, quase aguentou até ao final, mas acabou mesmo por ser batida sobre a meta por Marta Bastianelli.

Com este resultado, ambas as atletas aproximam-se da frente na luta pela classificação World Tour e, acima de tudo, Vos sobe ao segundo posto e coloca van Vleuten sob uma pressão que já não tinha há algum tempo.

Ambas as atletas poderão ter oportunidade de se aproximarem ainda mais da frente se participarem no Tour of Norway de 22 a 25 deste mês. Ainda falta conhecer a maior parte da lista de participantes, mas a Mitchelton-Scott já definiu o seu seis e neste consta Annemie van Vleuten. Além do mais, o perfil das quatro etapas ajusta-se bem tanto a Bastianelli como a Vos, pelo que deverão marcar presença e com ambições a discutir a corrida.

Também na Juventude está quente a luta pela vitória, com Lorena Wiebes, que até é a quinta melhor entre as Elites, a voltar a bater Cavalli (apenas 26.ª e terceira melhor sub23 na Geral das Elites) como melhor Sub23 e a colocar-se a somente dois pontos da italiana.

Foto de Capa: Vargarda Cycling

Revisto por: Jorge Neves

Comentários