A CRÓNICA: AO PENÚLTIMO DIA, VOLTA A DAR CARVALHO

Tal como na edição 2019 da prova rainha do ciclismo nacional, António Carvalho foi o mais forte na penúltima etapa da Volta a Portugal. Para cortar a meta no primeiro lugar em Setúbal e dar à Efapel a segunda vitória desta edição, o trepador teve que enfrentar um dia que contou com a dura passagem pela Arrábida.

A jornada começou rápida, com verias tentativas de fuga e, finalmente, a consolidação de uma escapada de oito corredores, que incluía Luís Gomes, em busca de pontos para ultrapassar McLay na luta pela camisola vermelha.

O homem da Oliveirense venceu as duas primeiras Metas Volantes da jornada e, quando o pelotão liderado maioritariamente pela W52-FC Porto alcançou a fuga ainda longo do final, aguentou-se no grupo para ainda tentar estar na discussão da etapa.

Anúncio Publicitário

Finalmente, na curta, mas dura, subida para a Arrábida, surgiram alguns ataques, com, finalmente, António Carvalho e Luís Fernandes a estabelecerem a cabeça de corrida isolados, com um grupo perseguidor com os favoritos já bem reduzido.

Com poucas equipas representadas em número no grupo de trás, a perseguição não foi a fundo e o duo resistiu, com António Carvalho a conseguir bater o homem boavisteiro e somar a sua segunda vitória da carreira numa etapa da Volta, mesmo que Luís Gomes tenha saltado com imensa velocidade na reta da meta e quase alcançado os dois da frente.

Com as classificações dos pontos e da montanha virtualmente fechadas – Luís Gomes e Hugo Nunes apenas têm que terminar – e Simon Carr com vários minutos de liderança na Juventude, falta decidir a Geral no contrarrelógio final.