cabeçalho ufc

Ronda Rousey é especial, uma lenda viva, uma dificuldade para jornalistas que, luta após luta, se vêem em dificuldades para descrever a sua genialidade. Cat Zingano vinha sendo descrita como o primeiro grande desafio de Ronda, aquela que a testaria, a levaria ao limite. Ronda ultrapassou-a em 14 segundos. Nada mais há a dizer.

O UFC 184 era para ter como evento principal o combate entre o campeão de peso médio Chris Weidman e Vitor Belfort, no entanto o primeiro lesionou-se, o que levou a que Ronda Rousey e Cat Zingano assumissem o protagonismo. Este foi o primeiro evento da UFC cujo evento principal e co-evento principal tinham como protagonistas lutas femininas. Se questões se levantaram acerca da viabilidade de atribuir a maior responsabilidade ao sexo feminino, essas estão agora desfeitas. UFC 184 foi um sucesso e abriu portas para mais eventos protagonizados pelas divisões femininas de lutadores.

Anúncio Publicitário

Tony Ferguson e Gleison Tibau abriram a noite no Staples Center, em Los Angeles, com um combate da divisão de pesos leves. Ferguson, vencedor da décima terceira temporada do The Ultimate Fighter, entrou com uma sequência de quatro vitórias e estatuto de favorito, apesar de Tibau ostentar um impressionante recorde de 33-10, com 16 vitórias na divisão. Ferguson, no entanto, confirmou o estatuto que lhe fora atribuído. Um gancho de direita aos dois minutos de combate deixou Tibau grogue, demonstrando-o com uma tentativa de derrube bastante disparatada, levando Ferguson a dominá-lo no chão, passar (facilmente) para as costas e finalizar com um mata-leão, aos dois minutos e 37 segundos da primeira ronda. Através desta vitória Ferguson aumenta a sua sequência de vitórias e o seu recorde para 5 e 18-3, respectivamente, e começa a fazer nome na divisão.

Após um bom começo de noite, Richard Walsh e Alan Jouban, ambos vindos de derrota e na sua terceira luta na UFC, tentaram rectificar o seu nome no octógono. Durante dois minutos trocaram algumas sequências e diversos pontapés, testando-se. Jouban, no entanto, após a esgrima, viu uma abertura no lado esquerdo da cabeça de Walsh e lançou uma cotovelada, que atordoou o seu adversário, finalizando com socos.

A terceira luta da noite viu uma luta com contornos semelhantes à anterior. Koscheck, um veterano da UFC, opôs-se a Ellenberger, número 11 do ranking de peso meio-médio, onde ambos procuraram redimir-se das três derrotas seguidas de que vinham. Ambos entraram bem, com boas trocas iniciais. Koscheck conseguiu uma projecção cedo, mas tudo o que conseguiu fazer foi encostar Ellenberger à rede e desferir algumas joelhadas e outras tantas pisadelas no pé, algo que se prolongou quase até ao final da ronda. Na segunda, Koscheck adoptou a mesma táctica, mas desta vez o árbitro separou-os por falta de acção. Imediatamente a seguir, Ellenberger encaixou um gancho de direita, que visivelmente afectou Koscheck. Talvez por isso este tenha tentado, pela terceira vez, uma projecção, que acabou na rede como todas as outras. No entanto, desta vez Ellenberger decidiu surpreender e apanhou o seu adversário numa guilhotina em pé, que rapidamente tentou ir para o chão para se soltar, apenas para acabar num estrangulamento na posição Norte-Sul e, eventualmente, desistir. Ellenberger vence por submissão e deixa Koscheck, com 37 anos e quatro derrotas seguidas, no fim da linha.

Apesar da vitória, Holly Holm (à esquerda) não correspondeu às expectativas e mostrou que ainda tem muito trabalho pela frente se quiser chegar ao topo da divisão Fonte: UFC
Apesar da vitória, Holly Holm (Esq.) não correspondeu às expectativas e mostrou que ainda tem muito trabalho pela frente se quiser chegar ao topo da divisão
Fonte: UFC

A estreia de Holly Holm deu-se na quarta luta da noite, contra uma reconhecidamente dura Raquel Pennington. A expectativa em torno de Holm, antiga campeã mundial de boxe e detentora de vistosos K.O’s em organizações de MMA independentes, era elevada, chegando mesmo a dizer-se que poderia vir a ser uma forte candidata ao título detido por Ronda Rousey. Todos esperavam um knockout rápido e devastador de Holm devido à sua grande habilidade de striking. De facto, Holm mostrou ter bastante qualidade nesse e noutros prismas, mas a ida do combate a decisão do júri deixou fãs e adeptos com um gosto amargo. Holm nunca se mostrou marcadamente superior a Pennington, que, com um recorde de lutas de 5-5 na altura do combate, não estava propriamente na elite da divisão feminina de Bantamweight.

Aliás, foi Pennington quem mais perigo criou e mais perto esteve de vencer no decorrer do combate, ao desferir uma direita que levou Holm ao chão. Infelizmente para Pennington, esta não se conseguiu superiorizar a Holm, que ganhou pontos através de vários strikes bem-sucedidos, nas primeiras duas rondas. A antiga campeã de boxe acabou por ser a vencedora por decisão dividida, mostrando que ainda está a passos largos da qualidade que promete ter.

O último combate da noite prometia ser o duelo de uma vida para ambas as lutadoras. Esta premissa levanta, agora, muitas questões. Ronda venceu a sua teoricamente mais forte adversária até então em apenas 14 segundos, através de uma chave de braço, numa posição improvável. Cat Zingano procurou levar a luta até Ronda, chegando mesmo a conseguir a projecção, mas o trabalho de Ronda no chão provou ser, mais uma vez, letal. Ronda tem agora nove vitórias por chave de braço em 11 lutas profissionais. Todas têm conhecimento desta sua arma, mas todas caem na mesma armadilha.

Ronda Rousey prepara a chave de braço que lhe deu a vitória sob Cat Zingano Fonte: UFC
Ronda Rousey prepara a chave de braço que lhe deu a vitória sobre Cat Zingano
Fonte: UFC

Dana White brincou, há cerca de duas semanas, ao dizer que Ronda teria de começar a lutar contra homens caso dominasse Cat Zingano. E agora, Dana? Por esta altura, que mais há para Ronda? Quem mais? Bethe Correia e “Cyborg” Justino são possibilidades, mas a primeira não mostra ter qualidade evidente necessária para destronar Rousey, e a segunda está noutra companhia e apresenta grandes dificuldades em perder peso até chegar à divisão de Rousey. Miesha Tate tem sido apontada como uma possível candidata por ter sido aquela que mais tempo durou numa luta contra Rousey, sendo a única a levá-la para além da primeira ronda. A aura de invencibilidade de Ronda é tal que se equacionam adversários consoante o tempo que aguentam contra ela no octógono… Por esta altura, Ronda Rousey está no patamar de grandes como Anderson Silva, Jon Jones, Fedor Emelianenko. É uma lenda. É a melhor. É, literalmente, a mulher mais poderosa do mundo.

Resultados do cartaz principal:

Ronda Rousey derrotou Cat Zingano via submissão (chave de braço) na primeira ronda (0:14)
Holly Holm derrotou Raquel Pennington via decisão dividida (29-28, 28-29, 30-27)
Jake Ellenberger derrotou Josh Koscheck via submissão (estrangulamento em posição norte-sul) na segunda ronda (4:20)
Alan Jouban derrotou Rich Walsh via knockout (cotovelada e socos) na primeira ronda (2:19)
Tony Ferguson derrotou Gleison Tibau via submissão (Mata-leão) na primeira ronda (2:37)

Foto de Capa: UFC