cab desportos motorizados

Nos últimos dias, a imprensa das duas regiões autónomas portuguesas tinha vindo a falar na possibilidade da Madeira roubar o lugar dos Açores no Campeonato Europeu de Ralis (ERC). Tal não vai acontecer até 2015, quem o diz é François Ribeiro – responsável da Eurosport Events – pois o calendário aprovado a 31 de outubro para esta competição é para as próximas duas temporadas.

Jan Kopécky, vencedor do SATA 2013, na imagem troço Sete Cidades 2010 http://www.satarallyeacores.com
Jan Kopécky, vencedor do SATA 2013, na imagem troço Sete Cidades 2010
Fonte: satarallyeacores.com

Desta forma, o SATA Rally Açores vai estar por mais dois anos no segundo campeonato mais importante do mundo no que toca a ralis, depois de quatro anos no IRC, enquanto que o Rally Vinho Madeira terá de esperar até 2016 para poder voltar aos grandes palcos internacionais. Para mim, como açoriano, é uma grande notícia, pois esta prova é muito importante para a economia da região, além de que se trata de um dos melhores ralis de terra do Mundo. De resto, as paisagens em volta dos troços são um dos principais motivos para que a Eurosport não “deixe” que esta prova saia do seu calendário, pois é a que dá mais audiência ao canal. De qualquer forma, penso que se devia fazer como acontece no WRC, com o Rally da Austrália e Nova Zelândia, ou seja, as duas provas vão-se alternando no calendário, sendo que neste caso é de três em três temporadas. Fica a ideia para os dois grupos organizadores destas duas grandes provas portuguesas pensarem e verem os benefícios que podia trazer a cada.

Entretanto, nos próximos dias 8 e 9 de novembro vai decorrer a última prova do Campeonato Nacional de Ralis (CPR) no Algarve. O Rally Casinos do Algarve é uma prova muito aguardada pois vai decidir quem é o novo campeão nacional. De um lado temos o atual bi-campeão nacional, o açoriano Ricardo Moura, e do outro lado o campeão de 2010, o madeirense Bernardo Sousa.

Ricardo Moura http://www.acorianooriental.pt
Ricardo Moura
Fonte: acorianooriental.pt

O açoriano está na frente da classificação com 91 pontos enquanto que o madeirense tem 83. Para Sousa ser campeão precisa de vencer o rali e ficar em primeiro na Power Stage, pressupondo que Moura fica em segundo em ambas as classificações. Assim, ambos os pilotos acabam com 111 pontos. O critério de desempate é o número de vitórias na temporada e, como Sousa venceu até ao momento três provas e Moura apenas duas seria o madeirense o campeão de 2013.

Bernardo Sousa http://www.lemansportugal.com
Bernardo Sousa
Fonte: lemansportugal.com

Ainda com hipóteses está também Pedro Meireles. O vimaranense, no entanto, precisava que os dois insulares tivessem grandes percalços para poder obter o seu primeiro título.

Só me resta desejar que seja uma grande prova e que as pessoas compareçam na estrada. E, já agora, se me permitem, FORÇA, MOURA!

Comentários