Anterior1 de 2Próximo

Esta foi a penúltima corrida da temporada E-Prix e não foi nem mais nem menos do que uma batalha campal. No meio do caos em pista o vencedor foi Sebastien Buemi (Nissan E-Dams), que dominou a frente da corrida desde a partida, onde começou em pole position.

Foi um início de corrida horrível para os pilotos da DS Techeetah, com Vergne e Loterer a ter que ir às boxes fazer reparações urgentes nos carros, com o alemão a ficar com uma volta de atraso para o resto do pelotão.

Alex Lynn (Jaguar), subiu ainda na primeira volta para a segunda posição, mas problemas no carro obrigaram o piloto britânico a encostar na beira da pista, o que levou à entrada do Safety Car.

A entrada do mesmo alterou a face da corrida, com os carros muito mais juntos, dando hipóteses aos pilotos que lutam pelo título de adiar a decisão para a segunda corrida. O principal beneficiário foi Lucas Di Grassi (Audi Sport), que após começar em 14.º, escalou a tabela classificativa para se colocar confortavelmente nos pontos.

António Félix da Costa (BMW Andretti) também foi uma das figuras, tendo começado na oitava posição. O português aproveitou erros de outros pilotos como Sam Bird (Virgin Racing) para subir à quarta posição, sendo que o colega de equipa Alexander Sims, o deixou subir ao pódio, abrindo caminho para o terceiro lugar do português.
Vergne a acusar pressão?
Fonte: FIA
As últimas voltas foram uma autêntica carnificina, com os carros muito próximos uns dos outros e uma pista muito suja fora da linha de corrida. Os acidentes abundaram, sendo de destacar o contacto entre Rowland e Mortara, e aquele que adiou a decisão do título, entre Vergne e Felipe Massa, que acabou por envolver ainda mais carros.

Após o erro no início da corrida, o francês tinha subido até à décima posição, e tentava ultrapassar Massa que seguia em nono. Porém, foi demasiado agressivo e acabou por chocar com o brasileiro, virando os dois carros que ficaram a interromper a pista, com Felipe Massa ainda a levar um impacto muito forte de Jerome D’Ambrosio. Um erro de Vergne muito parecido com os que cometia no início da época. Talvez a ansiedade de fechar o título E-Prix a uma corrida do fim tenha sido o fator que o levou a cometer o erro.

Assim, alheio a todo o caos que se desenvolvia atrás de si, Sebastien Buemi dominou a corrida, seguido de Mitch Evans, que executou uma corrida perfeita para o levar à segunda posição, e manter a luta do título E-Prix aberta, já António Félix da Costa fecha o pódio, após uma excelente corrida, mas não foi o suficiente para se manter na luta pelo título.

A decisão fica então adiada para a segunda corrida de Nova Iorque, tendo em conta que todos os candidatos fizeram corridas excelentes, tirando o próprio Jean Éric Vergne. Assim, Buemi, Di Grassi e Evans continuam na luta pelo título, desejando certamente que o francês tenha uma corrida digna de pesadelo como esta.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários