Um dia gostaria de ir a Paris. Ver a Torre Eiffel ou o Arco do Triunfo. Não me importo, por enquanto vejo na televisão, e através da Fórmula E. O campeonato elétrico da FIA foi à cidade do amor, à cidade das baguettes e dos croissants. Houve chuva, sol, sol e chuva ao mesmo tempo, cheiro a gasolina é que já não posso garantir.

António Félix da Costa antes do E-Prix de Paris encontrava-se na segunda posição do campeonato, a um ponto do líder, Jerome D´Ambrosio.

Sábado extremamente emocionante. Para quem não sabe, na Fórmula E tudo se dá ao sábado. Treinos livres, qualificação e corrida. Na qualificação, Félix da Costa ficou em 14º lugar.

Anúncio Publicitário

Na corrida, a pole foi para o homem da Mahindra, Pascal Wehrlein, mas o alemão foi penalizado, pela pressão nos pneus. Arrancou, juntamente com o companheiro de equipa, D´Ambrosio, na última linha da grelha.

Largada atrás do Safety-Car do português Bruno Correia, Oliver Rowland (Nissan e.Dams) era o primeiro líder, mas logo nos primeiros minutos chocou com uma das barreiras do circuito. A partir daí foi um calvário para o britânico. Quem se sucedeu na liderança foi o suíço, Sebastien Buemi, também da e.Dams. Mas, qual série da Netflix, Buemi também não conseguiu aguentar na liderança e Robin Frijns (Envision Virgin Racing) herdou a liderança.

Mais atrás, Andre Lotterer ia subindo na classificação e já estava em segundo, à frente de Felipe Massa, quando a chuva começou a cair nos céus de Paris. Chuvada bem forte fez com que os comissários colocassem a pista em Full Course Yellow, o que significa que todos os carros andam a 50 km/h. Nesta altura, António Félix da Costa já estava à beira dos pontos, em 11.º lugar.

Dez minutos depois retomou-se a corrida e Frijns, com claros problemas na asa dianteira conseguia uma distância interessante para Lotterer. Massa com problemas era ultrapassado e ia caindo. Mas, lembre-se caro leitor, série de Netflix. Sam Bird bateu nas barreiras, na mesma curva, Oliver Rowland bateu em Alexander Sims e trouxe bandeira amarela outra vez. Oliver Rowland teve uma corrida desastrosa.

António Félix da Costa continua na luta pelo campeonato. Continuamos a torcer pelo português, e para isso ajuda votarmos no Fan Boost
Fonte: FIA

Edoardo Mortara também se envolveu num acidente com Alex Lynn e, já adivinhou? Full Course Yellow! Bandeira verde, e a luta pelo primeiro lugar no campeonato, entre António Félix da Costa e Jerome D´Ambrosio, sorriu ao português, já que o belga ficou nas barreiras.

Safety-Car até ao fim e bandeira verde nos últimos metros. Robin Frijns é o oitavo vencedor diferente esta época. Assume a liderança do campeonato. Félix da Costa minimizou os danos e encontra-se em terceiro com 70 pontos.

A próxima prova é o E-Prix do Mónaco no dia 11 de maio.

 

Foto de Capa: FIA