Jerome D’ambrosio é o vencedor do E-Prix de Marraquexe, mas, durante quase toda a corrida, achou que só ia ser terceiro, isto porque António Félix da Costa e Alexander Sims decidiram quebrar a primeira regra do desporto motorizado – a de não bateres contra o teu colega de equipa.

A corrida começou com o caos absoluto: Sam Bird, da Virgin Racing, começava em pole position, e Jean Eric Vergne em 2º lugar. No entanto, JEV não teve muita paciência e, na tentativa de ultrapassar Bird na primeira curva, acabou virado na direção oposta e a ter de voltar à corrida, desta vez com muitos mais carros à sua frente. Stoffel Vandoorne e Gary Paffet também embateram e viram-se obrigados a retirarem-se da corrida. Nesta confusão toda, Sims colocou o seu BMW Andretti na 2º posição até ser ultrapassado por Félix da Costa, que iniciava a sua perseguição ao líder Sam Bird. Os dois pilotos da BMW conseguiram ultrapassar o britânico e construíram uma vantagem muito confortável na frente, e parecia que a partir daqui a única luta seria pela terceira posição.

Luta essa que estava bastante acesa, com Jerome d’Ambrosio a fazer uma série de ultrapassagens e a colocar o seu Mahindra no último lugar do pódio. Segundos depois e uns bons metros à frente, Alexander Sims tenta uma ultrapassagem audaciosa a Félix da Costa, mas bloqueia as rodas na travagem e o português defende com muita agressividade e faz contacto com o seu colega de equipa. Félix da Costa sai pior e choca de frente contra as barreiras, o que resulta numa prenda para d’Ambrosio, que assume a liderança, e provavelmente origina um grande puxão de orelhas para os pilotos da BMW.

Após ele e Félix da Costa perderem o 1-2 para a sua equipa, Sims volta à corrida na quarta posição. O Safety Car é colocado em pista enquanto retiram o carro de Félix da Costa e, quando regressa aos pits, falta apenas uma volta. Os pilotos lutam por um pódio a um ritmo frenético – Robin Frijns da Virgin a atacar Jerome d’Ambrosio, e Sam Bird a defender de Alexander Sims, que, ao mesmo tempo, se tentava defender dos ataques de Jean Eric Vergne e Lotterer da DS Techeetah, que, após caírem para os últimos lugares na primeira volta, já desafiavam pelos lugares cimeiros. Acaba por não haver ultrapassagens, com destaque para a forma fantástica como Sam Bird se defendeu de Sims, que, com o Attack Mode ativado, era muito mais rápido que o piloto da Virgin. A luta foi tão próxima que, quando Jerome d’Ambrosio passa a linha da meta e vence a corrida, a diferença para a quarta posição de Sims era de apenas 0,740 segundos. 

Mais uma corrida de loucos na Formula E. É apenas a 2ª vez que a nova geração de carros vai para a pista e, mais uma vez, resulta numa grande corrida, completamente imprevisível. Quando a vitória parecia certa para a BMW Andretti, os dois pilotos chocam e a corrida é virada do avesso, mas eles continuam a estar na disputa pelo titulo. Se Félix da Costa e Sims não voltarem a cometer um erro destes, os títulos de pilotos e construtores estão ao seu alcance, porque velocidade não lhes falta.

O Piloto do dia: Jerome d’Ambrosio

Primeira vitória de d’Ambrosio conseguida em pista
Fonte: Formula E

O piloto belga da Mahindra qualificou-se apenas na décima posição no grid. No entanto, ao saber manter-se fora de todos os acidentes e com algumas ultrapassagens fantásticas, acabou por vencer o E-Prix de Marraquexe. Revelou uma excelente condução, onde a sorte teve grande papel, mas isso não retira mérito a Jerome – para se ter sorte é preciso saber estar no sítio certo para colher os frutos dela.

Texto revisto por: Mariana Coelho

Foto de Capa: BMW Motorsport

Comentários