O campeão de Formula E, Jean Eric Vergne salta para o topo da classificação, após vencer aquela que foi sem dúvida a corrida mais calminha da temporada, no E-prix do Mónaco, que usa cerca de metade da pista usada pela Formula 1 no principado. Após herdar a pole position de Oliver Rowland quando este foi penalizado, o francês da Ds Techeetah dominou a corrida de início ao fim, defendendo com maestria a pressão de Rowland, Massa e Wehrlein.

A luta entre os quatro pilotos foi intensa, ao ponto em que Massa viu a bandeira axadrezada já com 0% de energia, ou seja, mais uns metros, tinha perdido o seu primeiro pódio na Formula E para Wehrlein que pressionava imenso o brasileiro.

O alemão da Mahindra ainda esteve em segundo, a colocar pressão sobre Vergne, mas um erro na primeira curva atirou-o para a quarta posição, onde ficou até ao final da corrida.

Mais atrás, Buemi fazia uma corrida muito solitária na quinta posição, com o resto do grid na perseguição, liderados por António Félix da Costa. O português ainda tentou ultrapassar Buemi, mas a posição onde se encontrava garantia o segundo lugar no campeonato, atrás de Vergne, logo assentou e procurou fazer uma corrida segura.

De 5º para cima, era uma batalha de gladiadores
Fonte: Formula E

Acabou por não valer de nada, tendo em conta que Félix da Costa foi desqualificado da corrida por ultrapassar os valores de energia permitidos durante a corrida. O português explicou que foi um acidente, que após Evans dar um toque no BMW, este carregou sem querer num botão no volante que dá mais 25 Kw de potência, e só notou uma volta depois. Da Costa diz também que sente que é injusto porque acabou por não ganhar nenhuma vantagem com a potência a mais, e que chocam contra ele, e ainda é desqualificado. Esta penalização fez com que perdesse o segundo lugar no campeonato.

Daniel Abt foi o outro piloto penalizado, após um choque contra Turvey, perdendo a 8ª posição. Assim Evans subiu para a sexta posição, seguido de Lotterer, que teve uma corrida fantástica onde recuperou de 20.ª. Em oitavo ficou Alex Lynn, seguido de Vandoorne e José Maria López.

Foi uma corrida bastante descontraída, tendo em conta o que a Formula E nos tem habituado nesta 5ª temporada, onde tudo é caos, e tem de haver sempre um vencedor diferente. Essa regra foi quebrada pelo inevitável JEV, que venceu pela segunda vez esta época, e parece ter reencontrado o campeão que há nele, após uma primeira metade da época muito inconsistente.

Por corrida descontraída não se pense que foi má, houve grandes batalhas, principalmente entre os qatro pilotos da frente, com um trabalho defensivo irrepreensível de Jean Eric Vergne. A Poucas corridas do fim, o campeonato já começa a ganhar forma, mas isto é Formula E, qualquer coisa pode acontecer.

Piloto do dia: Jean Eric Vergne

Das luzes, até à bandeira axadrezada, JEV dominou
Fonte: Formula E

Liderar de ponta a ponta não parece difícil, tirando quando tens quatro carros a apertar contigo durante os 45 minutos da corrida. Wehrlein e Rowland bem tentaram, mas o francês transformou o seu bólide dourado num autêntico autocarro nas ruas de Monte Carlo, que já por si só, são estreitas que chegue. A ascensão ao primeiro lugar do campeonato está feita, será que agora há fibra suficiente para garantir um segundo campeonato de Formula E?

Foto de Capa: Formula E

Comentários