Lewis Hamilton pôde apreciar as vistas do Sul de França, tal o domínio que mostrou no Grande Prémio de França em Paul Ricard. O britânico terminou a 18 segundos do colega de equipa Valteri Bottas, que ficou na segunda posição, seguido de Charles Leclerc da Ferrari.

Numa corrida onde os pilotos líderes quase nunca conseguiram aproximar-se uns dos outros e batalhar por posições, foi o pelotão que ofereceu os melhores momentos da corrida, com grandes lutas desde a 7ª às últimas posições.

A primeira volta tem o hábito de ser entusiasmante e esta não foi exceção, as primeiras curvas tinham Carlos Sainz e Max Verstappen a lutar por posição, Ricciardo a tentar ultrapassar Vettel, até que a tabela classificativa assentou e apenas começou a despoletar interesse, quando Antonio Giovinazzi entra nos pits para colocar os pneus duros.

A partir daqui, víamos equipas a tentar fazer uma corrida longa com os pneus iniciais, e as outras a tentar ultrapassar através das pitstops. Aqui, os vencedores foram sem dúvida os Renault e Kimi Raikkonen, que conseguiram a vantagem sobre Pierre Gasly nas boxes. 

Nas últimas voltas, desilusão para Lando Norris, o britânico que começava a pressionar o colega de equipa pela 6ª posição, teve problemas hidráulicos, o que o deixou à mercê de Ricciardo, Raikkonen e Hulkenberg. Ricciardo eventualmente ultrapassa, mas está sobre investigação, por ultrapassar completamente fora da pista. Hulkenberg e Raikkonen deixam também para trás o rookie britânico, que até lá, estava a executar uma excelente corrida.

Fim de semana quase de sonho para a Mclaren
Fonte: Formula 1

Para além de Norris, Bottas também começava a ter problemas de aderência, ficando a escassas décimas de segundo de vantagem de Leclerc na linha final, sendo que se houvesse mais 2 voltas, o mais certo era o monegasco subir para a segunda posição e estragar a dobradinha à Mercedes.

Max Verstappen terminou em 4º, numa corrida muito solitária, onde não desafiou, mas também não foi desafiado, ficando entre os dois Ferrari. Já Vettel, apenas conseguiu subir para a 5ª posição, após começar em 7º. O resto do top 10, é formado por Carlos Sainz, Daniel Ricciardo, Kimi Raikkonen e Lando Norris.

Não foi a corrida mais entusiasmante do ano, mas não foi tão parada como a corrida na China por exemplo, apesar da falta de ação e tensão nos lugares cimeiros, o pelotão teve várias batalhas apetecíveis, incluindo a Williams, que se vê obrigada a lutar consigo mesma, tal a distância para o resto das equipas.

Com Hamilton a finalmente colocar Bottas no lugar, não vejo como será possível parar esta equipa da Mercedes, por este andar, o título estará fechado bem antes do final da época.

Piloto do Dia: Carlos Sainz

Fonte: Formula 1

O piloto espanhol, merece que lhe tirem o Jr do nome. Está um piloto feito, muito seguro e constante, teve no arranque da corrida o melhor momento, onde mais uma vez levou a luta aos Redbull. Entretanto pôs os pés na terra, e geriu a corrida da melhor forma que podia, incluindo do seu próprio colega de equipa. Há ali muito talento, e com a forma como a Mclaren evoluiu de um ano para o outro pode significar um regresso aos dias de glória pela equipa de Woking. Carlos e Lando são uma das duplas mais talentosas da Formula 1, hoje voltaram a demonstrá-lo, e tenho a certeza que a Redbull está a coçar a cabeça sobre a decisão de apostar em Gasly e não em Sainz…

Foto de Capa: Formula 1

Comentários