Lewis Hamilton é o vencedor do Grande Prémio do Canadá, após uma penalização muito polémica de 5 segundos a Sebastian Vettel, o atirar para a segunda posição numa das corridas mais intrigantes e tensas do ano.

A penalização surge quando o carro foge a Vettel na curva 4, e este tem de cortar pela relva, regressando à pista ainda sem o controlo do carro, em frente a Lewis Hamilton. O britânico viu-se obrigado a travar, e os fiscais sentiram que foi um regresso perigoso de Vettel à pista, colocando uma penalização de 5 segundos no alemão, que a partir daí não conseguiu uma distância boa o suficiente para compensar este défice.

Após conseguir a pole position no sábado, Vettel arrancou bem e manteve a posição durante toda a corrida, sendo que nas voltas antes da penalização, Hamilton começou a pressionar mais o alemão, o que poderá ter levado ao erro, mais um do tetracampeão sobre pressão.

A fechar o pódio temos Charles Leclerc, que apesar de acompanhar bem o ritmo dos pilotos da frente, nunca se superiorizou, e a Ferrari teve de o levar às boxes um pouco mais tarde para evitar ficar preso atrás de Verstappen e Bottas, o que o retirou definitivamente da luta pelo 2º lugar, mas o segurou no 3º, desta feita, finalmente uma decisão acertada da Ferrari na estratégia do monegasco.

Anúncio Publicitário

Em 4º, fica Bottas, muito longe do seu colega de equipa, após uma qualificação difícil, e nunca conseguiu aproximar-se do pódio, sendo o destaque da corrida, a batalha com Ricciardo. Verstappen esteve muito bem em recuperar para 5º, após ter a classificação arruinada pelo acidente de Magnussen e ser obrigado a começar em 9º. Em 6º e 7º, uma “dobradinha” da Renault, a fechar um fim de semana muito positivo para a equipa francesa, que esteve sempre mais perto do ritmo do top 3 do que do pelotão, acho que é aqui que começa verdadeiramente a época da equipa francesa. Em 8º, Gasly pela Redbull, que após corridas positivas em Espanha e Mónaco, onde parecia mais perto do colega de equipa, voltou a ter uma corrida muito pobre, onde era incapaz de ultrapassar Lance Stroll que seguia num Racing Point bastante inferior ao monolugar da Redbull. Gasly não pode usar para sempre a desculpa de ter dificuldades de se adaptar, ele é um bom piloto, mas algo lhe está claramente a faltar este ano.

Um Renault a lutar com um Mercedes???
Fonte: Formula 1

A fechar o top 10 temos dois pilotos que saltaram para lá nas últimas voltas, com excelentes ultrapassagens quase seguidas a Carlos Sainz, que são Lance Stroll e Daniil Kvyat. Após uma qualificação pobre, Stroll aguentou voltas e mais voltas com os pneus iniciais, e conseguiu ganhar nas boxes estes pontos, uma excelente corrida do canadiano, que deixa a pensar o que poderá fazer se conseguir melhorar a qualificação, porque velocidade em corrida tem ele. Já Kvyat teve uma corrida invisível, até à ultrapassagem a Sainz, e que ultrapassagem que foi, muito precisa e sem dar hipótese ao piloto da Mclaren, uma manobra decisiva do piloto russo.

Foi uma corrida muito tensa, tal como o Mónaco, onde as diferentes estratégias e neste caso, a polémica, nos deixou quase sem unhas pelo final da corrida.