Anterior1 de 2Próximo

Cabeçalho modalidadesFaltam só duas. Duas corridas. Dois Grandes Prémios. É isto que, de certeza, Nico Rosberg estará a pensar agora. Lewis Hamilton venceu o GP do México e encurtou ainda mais a distância para o primeiro lugar da geral mas Rosberg continua intocável.

Hamilton conquistou mais uma pole e Rosberg manteve a tradição, garantindo a dobradinha para a Mercedes. O facto de a Red Bull ter sido melhor do que a Ferrari já nem é notícia; tendo em conta que, desta vez, até Hulkenberg colocou o seu Force India à frente de Vettel e Raikkonen.

O arranque voltava a ser crucial. E, mais uma vez, Hamilton provou que quando se empenha, os resultados são visíveis: agarrou a liderança, apesar de ter saído de pista logo na primeira curva. Foi à relva, voltou, permaneceu em primeiro e deixou bem claro que a festa de Rosberg ia ser adiada.

Também na primeira curva, Rosberg e Verstappen acabaram por ter um pequeno toque, mas nada substancial o suficiente para serem admoestados. Esta fricção entre os dois pilotos iria, na verdade, ser o mote de toda a corrida. Verstappen lutou muito por um segundo lugar que lhe escapou. Mas já lá vamos.

Muito público a ver o GP do México Fonte: F1
Muito público a ver o GP do México
Fonte: F1

Vettel chegou a rodar em primeiro mas só durante o pit-stop de Hamilton. Ainda assim, chegou para se tornar o quarto piloto que mais voltas liderou na história da F1. Quando o alemão parou (com dez voltas a mais do que o recomendado pela Pirelli para os seus pneus macios…), a classificação voltou ao normal, com Hamilton a tentar cavar um fosso em relação a Rosberg, e este a tentar descolar de Verstappen.

Anúncio Publicitário

Mas o jovem holandês já provou que está feito um piloto de mão cheia. E prova disso são as tentativas de ultrapassagem que foi fazendo, sempre muito técnicas, sempre cheias de intenção. Mas Nico Rosberg é um piloto experiente e, mais do que isso, Nico é um homem que quer ser campeão pela primeira vez. E estando Hamilton na frente, não podia dar-se ao luxo de perder mais pontos para o inglês.

Lewis Hamilton foi aproveitando o tempo que Rosberg perdia com as investidas de Verstappen e cavou um fosso de 7s. O holandês acabou por perder andamento, distanciou-se do Mercedes e ficou com Vettel à perna.

E foi a partir daqui que o GP se tornou polémico. Depois de um ataque de Vettel, Verstappen atrasa uma travagem, é obrigado a sair de pista mas mantém o terceiro lugar. A Red Bull informa-o de que tem de ceder a posição ao Ferrari mas o holandês não acata a ordem. Para além disto, reduziu o andamento, impedindo a ultrapassagem de Vettel e precipitando a aproximação de Ricciardo ao alemão. Quando Ricciardo conseguiu finalmente chegar perto de Vettel, o piloto da Ferrari defendeu-se com uma manobra que prometia causar polémica.

Daqui até à bandeira de xadrez, pouco mais para contar. Hamilton ganhou, Rosberg garantiu a dobradinha das flechas de prata, Verstappen fechou o pódio, seguido de Vettel e Ricciardo. Mas todos sabemos que nenhum GP de F1 termina na pista.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários