Anterior1 de 2Próximo

Cabeçalho modalidadesO fim-de-semana mais aguardado do Mundial de F1 chegou e com ele, a emoção a que já nos habituou. O Grande Prémio do Mónaco pauta por não desiludir e manter a adrenalina em todas as curvas apertadas, rectas levadas ao máximo e ultrapassagens perigosas. Na edição deste ano, a chuva foi protagonista e causou muitos dos incidentes que fizeram este GP. Hamilton saiu vencedor; mas não foi fácil.

Daniel Ricciardo confirmou o bom momento da Red Bull e garantiu a pole-position logo na primeira tentativa. Nico Rosberg e Lewis Hamilton não foram capazes de superar o australiano e completaram o pódio da grelha. Já a Ferrari, voltou a desiludir: Sebastian Vettel não conseguiu melhor do que o quarto melhor tempo e Raikkonen deixou-se ficar pela sexta posição. Os dois pilotos da scuderia italiana queixaram-se de um decréscimo de rendimento do carro.

Hamilton garantiu a primeira vitória do ano Fonte: Mercedes AMG Petronas
Hamilton garantiu a primeira vitória do ano
Fonte: Mercedes AMG Petronas

O Grande Prémio começou debaixo de chuva e atrás do safety-car. A corrida só começou, em boa verdade, à oitava volta. Ricciardo aguentou-se e manteve a liderança, perseguido bem de perto pelos dois Mercedes. Hamilton atirou-se a Rosberg desde logo, e acabou por ser beneficiado pela estratégia da equipa. Depois de o inglês ter finalmente ultrapassado o colega de equipa, a Mercedes confirmou que pediu a Rosberg que deixasse passar Hamilton. Segundo a equipa das “flechas de prata”, o bicampeão estava mais rápido naquela altura da corrida, e a decisão de o colocar numa posição mais avançada era uma aposta a longo prazo. Aposta essa que, como se veio a confirmar, era a acertada.

E se uns parágrafos acima disse que a Red Bull está a atravessar uma boa fase, já Ricciardo não deve partilhar da mesma opinião. Ainda antes da 30ª volta, Hamilton adiava a primeira paragem para manter o australiano atrás de si durante o maior período de tempo possível; assim, frustrava Ricciardo e criava uma margem de tempo para que a pista secasse. Quando, finalmente, parou, o piloto da Red Bull aproveitou e voltou à liderança da corrida – mas o impensável aconteceu. Já em primeiro, Daniel Ricciardo foi chamado à box para mudar para ultramacios. Mas quando chegou, a equipa não tinha os pneus preparados e causou, tal como os pneus, um pit-stop ultra demorado. Lewis Hamilton aproveitou e recuperou o primeiro lugar, para nunca mais o deixar fugir.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários