Anterior1 de 2Próximo

Na terra dos cowboys, em Austin, Texas, Valteri Bottas (Mercedes), converteu a pole position conseguida ontem numa vitória que não surgiu sem suor. O piloto finlandês assumiu o controlo inicialmente, mas viu-se obrigado a adotar uma estratégia difícil de duas paragens para cobrir Max Verstappen (Red Bull), o que fez com que entrasse em rota de colisão com o seu colega Lewis Hamilton (Mercedes), que após um início fulgurante onde tratou de passar os dois Ferrari. O britânico esteve sempre na luta pelo pódio, e até pela vitória, terminando em segundo seguido de muito perto por Max Verstappen, que esteve sempre perto, mas nunca foi o mais rápido para chegar a uma vitória.

Bastante atrás deste trio de ataque, estava Charles Leclerc (Ferrari), que nunca teve argumentos para acompanhar os outros carros. Fez lembrar na Hungria, em que os dois Ferrari eram quase um segundo por volta mais lentos. O quinto lugar provavelmente estaria reservado para Sebastian Vettel, mas após um mau início de corrida, onde estava com problemas em fazer os pneus funcionar, caiu de segundo para sétimo.

Vettel perseguia Lando Norris (McLaren) e Daniel Ricciardo (Renault), e uma das famosas lombas da pista de Austin destruiu completamente a suspensão traseira do carro do alemão. Mais ninguém teve esse problema, mas, já por haver queixas durante os treinos, os responsáveis pela pista vão proceder à repavimentação da pista, para evitar problemas de segurança em zonas mais rápidas.

Vettel e o triciclo mais caro do mundo…
Fonte: Formula 1

Alexander Albon (Red Bull), acabou por ter uma boa corrida, mas o ritmo que demonstrou para chegar à quinta posição, deixa a questionar o quanto ele podia ter afetado a batalha da frente. O piloto da Red Bull teve um pequeno choque com Carlos Sainz (McLaren) na primeira volta, e teve de parar para reparações, fazendo o resto da corrida com alguns danos. Ainda assim, conseguiu voltar para a quinta posição, apesar de fazer três paragens, continuando o registo de terminar acima de sexto em todas as corridas que fez pela Red Bull. Sem dúvida, um registo muito superior ao de Pierre Gasly.

Daniel Ricciardo e Lando Norris batalharam durante toda a corrida, terminando em sexto e sétimo, respetivamente, seguidos de Carlos Sainz (Mclaren), Nico Hulkenberg (Renault) e por Sergio Perez (Racing Point), que foi promovido a décimo, após a penalização dada a Daniil Kvyat (Toro Rosso) por chocar contra o mexicano.

Perez começa nas boxes, e chega aos pontos. Fantástico
Fonte: Formula 1

A corrida não foi propriamente entusiasmante, mas foi sim intrigante, com alguns momentos de destaque, e a batalha a três pela liderança. Porém, apesar de vencer, Valteri Bottas não vai ser o destaque desta corrida, isto porque Lewis Hamilton consegue assegurar mais um campeonato, o sexto, e terceiro consecutivo. Já desde as primeiras corridas que ninguém esperava outro campeão, sendo que Bottas ainda ameaçou, mas nunca foi consistente o suficiente para acompanhar o seu colega de equipa.

Se em todas as corridas deste ano, Valteri Bottas mostrasse a qualidade que mostrou hoje, o título ainda estava por decidir, mas não é só de vez em quando que vale a pena ser rápido. Por isso, Bottas é um piloto rápido, mas não um campeão como Hamilton, Sebastian Vettel (Ferrari) ou como Max Verstappen e Charles Leclerc (Ferrari) prometem ser. Quanto a Lewis Hamilton, não há muito mais a dizer. Caminha a passos largos para o sétimo título, e a máquina Mercedes/Hamilton já é tão bem oleada, que o mais provável será mesmo que, em 2020, o britânico ultrapasse Michael Schumacher.

Existem muito poucos pilotos tão completos como Hamilton. Geralmente há os pilotos rápidos, e os pilotos consistentes, o britânico consegue ser dos melhores nas duas categorias. E não, não é só do carro, senão Valteri Bottas conseguia estar sempre ao nível do britânico, e, ao contrário do que muito se diz, Bottas não é um mau piloto, ele só não é Lewis Hamilton.

Fonte: Formula 1
Anterior1 de 2Próximo

Comentários