Anterior1 de 2Próximo

Cabeçalho modalidades

Chegou o tão anunciado Grande Prémio da Europa! Baku, no Azerbaijão, foi o palco da estreia do circuito. Nico Rosberg foi o grande vencedor, num fim-de-semana recheado de críticas à falta de segurança da nova prova.

Na qualificação, Lewis Hamilton não conseguiu corresponder às boas indicações que tinha dado nos treinos livres e acabou por entregar de não beijada a pole-position – e logo a Rosberg. O inglês bateu nos últimos instantes da Q3 e não conseguiu melhor do que a décima posição da grelha. Rosberg aproveitou e nem precisou de voltar à pista depois do acidente do colega de equipa. A grande surpresa da qualificação foi Sergio Perez, que conseguiu o segundo melhor tempo. Contudo, a mudança da caixa de velocidades do Force India relegou o piloto para a sétima posição do grid. Rosberg partilhou, então, a primeira linha com Ricciardo, seguidos dos dois Ferrari.

No arranque, a Mercedes não vacila. Nico Rosberg agarra a liderança para nunca mais a largar. Atrás, Ricciardo não aguenta a pressão de Vettel e acaba por perder a segunda posição.  Depois de uma paragem mal calculada, o australiano da Red Bull perdeu muitos lugares e deixou o último degrau do pódio entregue a Raikkonen. Quando a Ferrari já sonhava com um duplo pódio, o experiente finlandês pisou a linha branca à entrada do pit-lane e foi penalizado em 5 segundos. A partir daqui, a scuderia italiana deu primazia à garantia do segundo lugar para Vettel.

Kimi tinha uma penalização para cumprir e era difícil alcançar tempos que lhe garantissem uma margem de erro suficiente para a classificação final. Quando já estava em segundo, a equipa pediu-lhe para deixar passar Vettel: o alemão era quem tinha a maior chance, ainda que ínfima, de lutar pela vitória. Raikkonen foi então o protagonista de uma morte anunciada; esteve muito tempo em terceiro, sabendo que iria terminar em quarto. Acabou por ser ultrapassado por Sergio Perez antes da linha da meta.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários