Cabeçalho modalidadesÀ partida para este Grande Prémio da Hungria, Vettel liderava o campeonato com apenas 1 ponto de vantagem sobre Hamilton. Estava reunido todo o leque para um grau de interesse elevado antes da pausa para férias. Interessava saber se a Mercedes era de facto a melhor equipa e se detinha o melhor carro, ou contrariamente, se a Ferrari ainda estava taco a taco na luta pelo título, e o real desempenho da Red Bull.

Qualificação dominada por Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen da Ferrari, que não deram as mínimas hipóteses à Mercedes nem à Red Bull. A Scuderia Ferrari alcançava a primeira linha da grelha na Hungria 14 anos depois. O alemão da Ferrari conquistou a 48ª Pole Position da carreira e a Ferrari alcançava a primeira linha da frente, com Bottas na 3ª posição à frente de Hamilton, e com Verstappen no 5º lugar à frente de Ricciardo.

A partida da corrida no circuito de Hungaroring decorreu sem espinhas para os homens de Maranello. Vettel e Raikkonen partiram bem. Bottas mantinha a 3ª posição, enquanto que logo na segunda curva os dois pilotos da Red Bull chocaram entre eles, mas Ricciardo viria de seguida a abandonar a prova com um furo no pneu dianteiro esquerdo, o que provocava a primeira e última entrada do safety-car. Max era considerado culpado e sofria a penalização de 10 segundos.

A corrida pode-se dividir em duas partes: a primeira parte refere-se até à única paragem nas boxes, e a segunda remete-nos para o pós-boxes.

A primeira parte da corrida foi dominada de forma clara pela Ferrari. Com pneus super soft, tanto Vettel como Raikkonen estavam à vontade, a performance deste tipo de pneus no Ferrari revelava-se muito mais rápido do que qualquer outra equipa. O alemão chegou a ter uma vantagem de 15 segundos sobre Hamilton, que se mantinha no 4º posto. Entre os dois homens da Ferrari a distância nunca foi mais dilatada do que 3 segundos. A Ferrari dominava a corrida ainda que os pneus super soft não aguentassem mais do que 30 voltas com um alto desempenho.

Anúncio Publicitário
Vettel conquista a sua 46ª vitória da carreira e a 4ª do ano Fonte: F1
Vettel conquista a sua 46ª vitória da carreira e a 4ª do ano
Fonte: F1

A segunda parte da corrida foi bastante mais agitada, após a paragem nas boxes dos Ferrari e Mercedes, para a mudança de pneus super soft para os soft, rapidamente se percebeu que a equipa germânica se adaptava melhor a este tipo de pneu. Simultaneamente que este facto era consumado e visível, Vettel comunica via rádio que tem problemas no equilíbrio do monolugar, isto é, a direcção tornava-se mais pesada e difícil de pilotar. Raikkonen tinha um ritmo e um andamento superior ao alemão e pedia aos engenheiros para que não o entalassem entre o companheiro de equipa e os Mercedes. Verstappen só efectuou a paragem na box decorria a volta 43, estratégia claramente a pensar na ponta final da prova. A luta pela vitória, inesperadamente, estava ao rubro, Vettel liderava e Hamilton em 4º lugar estava cada vez mais perto dos homens da frente.

Valtteri Bottas era terceiro mas teimava em chegar à traseira de Raikkonen. Até que o momento da corrida estava para chegar, a equipa pedia a Bottas para deixar passar Hamilton, para que o inglês tentasse ultrapassar o finlandês da equipa transalpina, com a promessa de que se este não conseguisse ultrapassar, que devolvia a posição.