Lewis Hamilton é o vencedor do Grande Prémio do Mónaco, muito graças aos 2 metros de largura dos carros de Formula 1 de hoje em dia. Max Verstappen passou cerca de 60 voltas a colocar pressão no britânico, tentando espremer o carro pelo buraco de uma agulha sempre que podia, mas no final, terminou em 2º, caindo para 4º após uma penalização de 5 segundos por ser libertado de forma insegura quando foi às boxes.

Vettel procurou redimir o fim de semana horrível da Ferrari, e com uma corrida muito segura e muito calma , conseguiu a 2ª posição, parando assim a sequência de dobradinhas da parte da Mercedes. A fechar o pódio ficou Bottas, que perdeu a 2ª posição para Verstappen e Vettel quando este foi libertado de forma insegura e acabou por ter contacto com o finlandês, que teve de voltar às boxes de novo, para verificar se estava tudo bem com o carro.

A corrida começou com o ritmo normal de uma corrida no Mónaco e sem grandes dramas, com a maioria da ação da corrida a ser oferecida por Charles Leclerc, que após a estratégia ridícula da Ferrari na qualificação, começava em 15º. Contudo, ele já tinha avisado que ia ser arriscado, é muito difícil ultrapassar no Mónaco, e apesar de algumas ultrapassagens muito boas, abusou numa delas, e chocou contra a barreira, o que resultou num furo, que desintegrou o pneu de tal forma, que acabou por destruir o chão do lado direito do Ferrari.

Isto fez com que caísse para o último lugar, e com metade do chão do carro destruído, tendo em conta que é um elemento importantíssimo na aerodinâmica, desistiu da corrida e retirou-se. Os pedaços de fibra de carbono largados pelo Ferrari ficaram espalhados pelas ruas do Mónaco, o que obrigou à saída do Safety Car.

Foi aqui o momento que definiu a corrida, os 4 pilotos da frente vão às Boxes, Hamilton sai com os pneus médios, enquanto os outros 3 os duros, Max Verstappen é libertado e ao sair tropeça no Mercedes de Bottas, conseguindo colocar-se à frente do finlandês, mas com uma penalização de 5 segundos por ser libertado de forma insegura.

Tudo parecia tranquilo para Hamilton, até que ele começou a notar que provavelmente os pneus médios não eram capazes de durar até ao fim, caso os carros atrás colocassem mais pressão, o que aconteceu. Max Verstappen passou voltas atrás de voltas, a cerca de meio segundo atrás de Hamilton, estando sempre no quase, mas nunca conseguindo ultrapassar.

Max Verstappen sempre a uma unha negra de Lewis Hamilton
Fonte: Formula 1

Nas últimas voltas, Verstappen tentou lançar-se ao interior da chicane após o túnel, mas acabou por apenas fazer contacto com Lewis, e continuar atrás do britânico, para terminar na 2ª posição, que com os 5 segundos de penalização, caiu para 4ª.

Assim, Vettel e Bottas fecharam o pódio, com Pierre Gasly em 5º, com a volta mais rápida, Carlos Sainz decidiu não parar no Safety Car, e isso permitiu que saltasse para a 6ª posição que não largou mais, seguido de Kvyat e Albon em 7º e 8º, que mais uma vez provaram ser uma excelente dupla num carro muito bom da Toro Rosso. Ricciardo decidiu parar no Safety Car, infelizmente, isso fez com que perdesse posições, e acabasse a corrida em 9º, e a fechar as posições dos pontos, Romain Grosjean termina em 10º, após aguentar com os pneus iniciais durante a grande maioria da corrida.

No fundo, o Grande Prémio do Mónaco não foi uma má corrida, houve muita tensão e estratégias diferentes para deixar as pessoas no mínimo curiosas, mas de que vale um piloto ser mais rápido, se é impossível ultrapassar? Mesmo se fosse um Williams na posição de Hamilton, não havia problema, colocava o carro no meio da pista e ninguém passava.

Os erros dos pilotos ou dos estrategistas, neste caso em colocar Hamilton nos pneus menos indicados, acabam por não dar em nada, erram, mas como tem posição de pista, são compensados, não é bom para este desporto. O grande destaque desta corrida vai então para os carros, que com os seus absurdos 2 metros de largura, não permitem uma corrida, mas um desfile bastante rápido.

O PILOTO DO DIA

Exibição soberba de Carlos Sainz Jr
Fonte: Formula 1

Pensei em Hamilton para aqui, também pensei em Verstappen, foi uma boa batalha da parte deles, mas fico-me por Carlos Sainz. O espanhol teve um início muito atribulado na Mclaren, contudo, agora tem estado em grande, e coloca-se como “best of the rest” na tabela classificativa. Conseguiu saltar posições no Mónaco através de uma estratégia muito inteligente, ele que se safa sempre muito bem nas ruas do principado. Não cometeu erros, e provou a qualidade que tem como piloto, que muitas vezes é desvalorizada, é preciso lembrar que quando ele e Verstappen estavam juntos na Toro Rosso, eram muito competitivos e equiparáveis em qualidade. A Mclaren está a subir, e penso que estão em boas mãos com Carlos Sainz.

Foto de Capa: F1

Comentários