Entrámos agora na pausa de verão do campeonato de Fórmula 1, que nos deixa sem qualquer ação e adrenalina durante cerca de um mês.

No entanto, para quem está um pouco mais “a leste” do campeonato, decidi falar do piloto que tem surpreendido (pela positiva) o mundo do desporto motorizado: Max Verstappen.

O piloto holandês, de apenas 21 anos, já está há três anos na Fórmula 1, tem conquistado, principalmente nos últimos anos, uma legião de fãs impressionante, com tudo o que tem adquirido na sua carreira na Fórmula 1 – seja os pódios, as vitórias e a(s) pole(s), mas o facto de ter no sangue o espírito de corrida e ser caracterizado pela sua garra e ambição, fazem com que os adeptos o sigam cada vez mais.

UM PASSADO COM HISTÓRIA

Nascido na Bélgica a 30 de setembro de 1997, e filho do ex-piloto de Fórmula 1, Jos Verstappen, e piloto de karting, Sophie Kumpen, Max tem provado, desde cedo, que “filho de peixe sabe nadar”. Como?

A sua carreira no desporto motorizado começou nos kartings em 2001 – tendo alcançado, no seu percurso, algumas vitórias nos campeonatos belgas e holandeses – até 2014, quando começou a sua experiência em monolugares, competindo na Florida Winter Series. No mesmo ano, assinou contrato para participar na FIA Formula 3, onde acabou a temporada em terceiro lugar.

Ainda em 2014, o piloto juntou-se à equipa júnior da Red Bull (Red Bull Junior Team) após fazer testes pela Formula Renault 3.5, e esta entrada viria a ser crucial para assegurar a sua presença na Fórmula 1.

Max Verstappen no carro da Fortec Motorsports – Formula Renault 3.5 (2014)
Fonte: Formula 1

TRÊS (AMBICIOSOS) ANOS NA FÓRMULA 1

Verstappen começa a sua jornada no topo dos desportos motorizados na temporada de 2015, pela Scuderia Toro Rosso, equipa italiana caraterizada por albergar as estrelas em ascensão da equipa júnior da Red Bull.

Pela Toro Rosso, conquistou bons resultados para a equipa, e até estabeleceu algumas marcas: Piloto mais jovem a testar um carro de Fórmula 1, com 17 anos e 2 dias; e piloto mais jovem a correr na Fórmula 1, com 17 anos e 166 dias.

No entanto, a estreia pela Red Bull Racing seria mais perto do que o esperado: após quatro corridas disputadas pela Toro Rosso na época seguinte (2016). Max Verstappen seria promovido a segundo piloto da Red Bull Racing, com a despromoção de Daniil Kvyat para a Toro Rosso devido a erros cruciais disputados pelo piloto russo. E, pelo contrário, a esperança crescia no jovem holandês para levar a Red Bull à competitividade já provada nos anos anteriores.

E a decisão tornava-se certa, quando, na corrida de estreia pela Red Bull – o GP de Espanha – Verstappen consegue a sua primeira vitória na Fórmula 1, tornando-se o mais jovem a conseguir uma vitória, com 18 anos e 228 dias.

Até aos dias de hoje, o piloto holandês já conquistou mais do que aquilo que se pensava: vitória em sete corridas, uma pole position e já 27 pódios pela Red Bull Racing – para além das inúmeras “melhores voltas” que o piloto tem vindo a fazer, que, sinceramente, acabamos a perder as contas.

Poderá ser já na próxima prova – GP da Bélgica, a sua “segunda casa” – a oportunidade perfeita para fazer estes números crescer? Sendo no próximo GP ou não, eventualmente irá acontecer.

Max Verstappen em testes para a Scuderia Toro Rosso, no treino livre do GP do Japão (2014)
Fonte: Formula 1

FUTURO CAMPEÃO?

Conseguimos imaginar Max Verstappen como campeão de Fórmula 1 nos próximos anos?

A sua ambição, o seu espírito jovem e a motivação que mostra cada vez que entra no carro dizem que sim. Este miúdo está preparadíssimo para subir ao topo do mundial de Fórmula 1.

Lá no fundo, todos nós queremos acreditar que, nos próximos anos, teremos este jovem como campeão do mundo. Porque, afinal de contas, isso só quereria dizer uma coisa: o espírito da Fórmula 1 está vivo. E bem vivo.

E tudo o que queremos ver é, um miúdo, que, mesmo não tendo o carro mais competitivo da época, consegue mesmo assim desafiar-se a si próprio e à equipa – que pretende também voltar ao topo – e, com a garra e a ambição, conseguir isso mesmo. E é isto que vemos no Max Verstappen. Um pouco de loucura, que, com a determinação certa e alguns limites, darão a este piloto um futuro brilhante.

Mas que limites? A mim parece-me que, para o holandês, o único limite é o céu. E mesmo assim, nem o céu consegue ser, visto que Verstappen acaba por ser uma estrela em ascensão, que, se tudo correr como esperado, acabará por concretizar o seu objetivo principal – ser campeão.

Foto de Capa: Red Bull Racing

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários